Patrocinado
AQUICULTURA

Conteúdo

Grupo oferece cursos para maricultores e pescadores 

Projeto é resultado da colaboração entre Senar (SC), IGEOF e Capitania dos Portos  
feedfood

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/SC), órgão vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), o Sindicato Rural de Florianópolis e o Instituto de Geração de Oportunidades de Florianópolis (IGEOF) assinaram, na última semana, termo de cooperação técnica com a Capitania dos Portos do Estado para os cursos de Formação de Aquaviários – Pescador Profissional nível 1 (CFAQ-POP1/MOP1) e de Formação de Aquaviários – Pescador Profissional nível 2 (CFAQ-POP2/MOP2). 

A formação nível 1 tem duração de 84 horas e 35 vagas por evento, totalizando até quatro turmas na grande Florianópolis, uma na região de São Francisco do Sul e outra na região de Laguna. A capacitação visa o controle da operação da embarcação e os cuidados com as pessoas a bordo e envolve as seguintes disciplinas: Atividade de Pesca I, Condução e Embarcação de Pesca, Sistema de Propulsão a Motor Diesel, Conhecimentos Elementares de Primeiros Socorros; Técnicas de Sobrevivência Pessoal, Prevenção e Combate ao Incêndio; e Segurança em Operações de Embarcação e Pesca. 

O curso nível 2 possui duração de 164 horas e 35 vagas para uma turma em Santa Catarina. O objetivo é capacitar para a navegação, comunicações, manuseio e estivagem de carga. As disciplinas incluem Atividades de Pesca II, Navegação; Manobra da Embarcação e Comunicações; Construção Naval, Estabilidade e Manuseio de Cargas; Conhecimentos Elementares de Primeiros Socorros; Técnicas de Sobrevivência Pessoal; Prevenção e Combate a Incêndio; Responsabilidades Sociais; Segurança em Operações de Embarcação de Pesca e Motores, Máquinas Auxiliares e Eletrotécnica. 

O termo de cooperação foi firmado pelo presidente do Sistema Faesc/Senar-SC, José Zeferino Pedrozo, pelo superintendente do Senar/SC, Gilmar Zanluchi, pelo presidente do Sindicato Rural de Florianópolis, Pedro Cavalheiro de Almeida, pela superintendente do Instituto de Geração de Oportunidades de Florianópolis, Janaína Pereira Francisco, e pelo capitão dos portos, Rodrigo de Araujo Cid Santa Rita. 

Pedrozo explica que o custeio dos cursos é do Senar/SC, mantido pela classe produtora rural compreendida por produtores e pescadores, capturadores pesqueiros e maricultores, através do recolhimento compulsório de 0,2% sobre a comercialização da produção primária. A entidade também é responsável pelo acompanhamento de todas as atividades, desde a abertura até o encerramento e entrega de certificados/registros. 

Zanluchi salienta que as formações representam oportunidades aos pescadores e maricultores do litoral catarinense para que possam desenvolver suas habilidades e crescerem profissionalmente. “Com isso, os participantes aperfeiçoam conhecimento, formalizam suas atividades, garantem melhores resultados e mais segurança durante as atividades”. 

A captação de candidatos e organização das turmas compostas por maricultures e pescadores na capital é de responsabilidade do Sindicato Rural de Florianópolis e do IGEOF. Nos demais municípios do litoral catarinense a execução das turmas ocorre com apoio dos Sindicatos Rurais e colônias de pescadores. A realização dos cursos é de responsabilidade da Capitania dos Portos de Santa Catarina e suas Delegacias de Laguna e São Francisco do Sul. 

A parceria para a realização do curso de Pescador Profissional POP- Nível 1 oportunizou, no período de 2017 a 2022, capacitar 40 turmas com 3.360 horas e mais de 1.100 participantes (pescadores e maricultores do litoral catarinense). 

Fonte: AI, adaptado pela equipe FeedFood.

LEIA TAMBÉM:

Após crise, suinocultura entra em fase de recuperação

Estimativas pesqueiras preveem 78 mil pirarucus até novembro

Missão busca fortalecer laços no Japão e Coreia do Sul