in ,

Genética otimiza custos e potencializa qualidade da carne

Marcos Lopes é Diretor técnico da Topigs Norsvin no Brasil

topis
REPRODUÇÃO

Em tempos de alta de preços, é fundamental que a otimização de custos na produção de suínos seja prioridade na hora do planejamento da produção. Para que se obtenha bons resultados produtivos e econômicos, os suinocultores devem buscar elevadas taxas de ganho de peso diário e alta eficiência alimentar. Portanto, é necessário que o suinocultor tenha em sua granja animais de alto potencial genético aliado a boas condições ambientais, principalmente com relação à nutrição e à sanidade.

Como uma empresa de genética, a Topigs Norsvin vem investido fortemente no melhoramento genético para características de terminação há décadas e os resultados a campo são excepcionais. Para se ter uma ideia, o aporte da empresa no Brasil nos últimos 6 meses totalizou a marca de 1 milhão de euros em sua central de avaliação de reprodutores suínos, localizada em Guarapuava (PR), que contribuirá para o progresso genético de suas linhagens de machos terminadores, tornando-as ainda mais competitivas e alinhadas aos anseios dos produtores nacionais.

Para que todo esse potencial genético seja refletido nas granjas, oferecemos aos nossos clientes um manual dos nossos produtos com as condições ideais de criação desses animais. Além disso, os produtores que aderem a genética da Topigs Norsvin contam com todo o suporte técnico da nossa equipe para a obtenção de excelentes resultados.

Dentre as características que possibilitam a obtenção de bons resultados econômicos, sempre temos que dar destaque à eficiência alimentar. Esta característica está diretamente relacionada aos custos de produção, já que os custos com ração representam a maior proporção na hora de fechar as contas, ou seja, ao aumentar a eficiência alimentar reduzimos os custos de produção.

Para dar um salto na eficiência alimentar do plantel, o primeiro passo é escolher a melhor genética e, a Topigs Norsvin oferece aos seus clientes e parceiros, animais de elevado potencial genético para eficiência alimentar e outras características de terminação. Isso graças ao rápido progresso genético obtido em suas linhagens com auxílio de comedouros automáticos para mensurar a conversão alimentar individual dos animais e da tomografia computadorizada, dentre outras tecnologias.

Um exemplo disso é a fêmea comercial da Topigs Norsvin, a TN70, que é o resultado da combinação entre a excelente eficiência alimentar do Norsvin Landrace e da alta habilidade materna da linha Z, as duas linhagens de alta prolificidade que dão origem a essa matriz. Outro produto que entrega índices zootécnicos expressivos aos suinocultores é o Norsvin Duroc. A linhagem, recentemente lançada no mercado brasileiro, é uma combinação perfeita entre alta eficiência alimentar e excepcional qualidade de carne, conferindo rentabilidade e novas oportunidades aos suinocultores nacionais.

Qualidade da carne, sustentabilidade e novos mercados

A contribuição da genética para a qualidade de carne segue a mesma linha que a eficiência alimentar. Existe o aspecto genético, mas também precisamos estar atentos aos aspectos nutricionais e de manejo. O uso de aditivos como ractopamina, a adoção de um peso de abate mais baixo, além de um inadequado manejo pré e pós-abate podem influenciar negativamente a qualidade de carne do produto-final mesmo se o animal tiver um alto potencial genético para essa característica. Por outro lado, sem a genética adequada, também não teremos bons resultados mesmo que a nutrição e o manejo estejam ajustados. 

Dentro do programa de genética da Topigs Norsvin, características ligadas à qualidade de carne como marmoreio, coloração e perda por gotejamento são sempre pontos chave, já que isso está diretamente ligado à aparência e sabor da carne, sendo fatores que irão influenciar a escolha da carne in natura no supermercado e a experiência do consumidor no momento de degustar essa carne.

Através dos investimentos em tomografia computadorizada e detalhados protocolos de dissecação para avaliar e melhorar as características citadas, é possível que a carne suína brasileira avance ainda mais na exportação para mercados mais exigentes, como o Japão por exemplo, que dá preferência a um produto de qualidade superior.

Para apoiar ainda mais o mercado suinícola nacional, adotamos um criterioso sistema de seleção de técnicos que possuem excelente formação acadêmica nas melhores universidades e centros de pesquisa do Brasil e do exterior. Com um time engajado e bem-preparado, auxiliamos o produtor a extrair o máximo potencial genético das linhagens Topigs Norsvin, sempre em busca dos melhores resultados a cada dia.

Todas estas iniciativas andam de mão dadas com o compromisso da Topigs Norsvin com a sustentabilidade. O programa de melhoramento genético balanceado da Topigs Norsvin proporciona o avanço genético das suas linhagens maternas e de machos terminadores e tem influência direta no resultado econômico e sustentável da suinocultura nacional. Com o progresso genético para características como a eficiência alimentar, o aumento da longevidade das fêmeas e a sobrevivência dos animais em todas as fases produtivas, além de maior promoção do bem-estar animal e do controle sanitário, reduzimos os custos de produção e dos impactos ambientais da atividade, impactando diretamente no sucesso da propriedade.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe feed&food. 

LEIA TAMBÉM:

MAPA aponta dicas para compra de pescados

Agro brasileiro amplia exportações durante mês de março

13⁰ Simpósio Técnico da ACAV anuncia nova data

fertilizantes ff

Caravana Embrapa FertBrasil chega ao Estado de São Paulo

evento pesquisadora

Pesquisadora brasileira participa de treinamento no Arizona