Patrocinado
SUINOCULTURA

Conteúdo

Fundo Nacional de Saúde Animal é prioridade da ABCS

Tema vem sendo trabalhado pela entidade junto ao MAPA
feedfood

A construção de um Fundo Nacional de Saúde Animal é prioridade, informa a Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS). O tema vem sendo trabalhado pela entidade junto ao ministro da Agricultura e Pecuária (MAPA), Carlos Fávaro. 

Para o presidente da ABCS, Marcelo Lopes, o momento é ideal para tratar de um Fundo Nacional, tendo em vista que é prioridade do governo a saúde animal, até por conta dos problemas enfrentados com o risco de entrada da influenza aviária na avicultura comercial (tecnificada). 

“Hoje a suinocultura carece de um fundo nacional, existe nos estados, mas precisamos elaborar algo mais robusto e de âmbito nacional, para que seja usado em casos de Peste, por exemplo”, pontua. 

Por ser um assunto de grande relevância e complexidade, em 2022 o MAPA por meio da Secretaria de Defesa Agropecuária, criou um Grupo de Trabalho (GT), com intuito de debater uma minuta sobre o tema. 

A ABCS é membro do grupo junto a outras instituições que representam os diversos segmentos da pecuária brasileira, e para a diretora técnica da ABCS Ludtke, a criação de um Fundo Nacional traz perspectivas para o Brasil erradicar doenças de alto impacto e que são barreiras comerciais (suinocultura, avicultura, bovinocultura). 

“Assim como, resguardar o país quanto a entrada de doenças transfronteiriças, pois na maioria destas, é mais barato trabalhar na prevenção do que no enfrentamento de focos da doença, caso uma doença de alto impacto ingresse”, conta.

Fundo Nacional deve atender os diversos interesses da cadeia de produção, diz Marcelo Lopes (Foto: reprodução)

Ainda de acordo com Ludtke, diversos países constituíram seus Fundos Nacionais de Defesa Sanitária Animal (Estados Unidos, Austrália, Colômbia) e estes têm impulsionado a pecuária, proteção à saúde animal e a expansão do comércio. 

“A criação de um Fundo Nacional de Defesa, não irá sobrepor as ações já desenvolvidas pelos Fundos de Defesa Sanitária Estaduais, já que estes possuem ações específicas e estruturantes nas respectivas regiões, e precisam continuar. No entanto, há muitos estados que não conseguem viabilizar Fundos de Defesa Estaduais devido a pecuária não ser expressiva, mas sendo parte importante de todo o País, tanto em risco, quanto em presença de rebanho”, resume.

No GT o assunto foi abordado em diversas reuniões e no final do mês de julho o MAPA levou o assunto, por meio do Secretário de Defesa, Carlos Goulart, ao Instituto Pensar Agro (IPA), para ser tratado junto à Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA). 

A diretora de relações governamentais da ABCS, Ana Paula Cenci explica que a estratégia do IPA será de debater o assunto entres os diversos atores da cadeia:  “As discussões são essenciais, pois elas levam ao aprimoramento e geram amadurecimento, em conjunto, com as entidades do agro”.

Para o presidente da ABCS, o assunto continuará no radar da entidade, pois ele é prioridade para o produtor de suínos. “Nosso objetivo é construirmos junto ao MAPA e a demais instituições um Fundo Nacional que seja factível e atenda os diversos interesses da cadeia de produção”, disse Lopes.

Fonte: ABCS, adaptado pela equipe Feed&Food.

LEIA TAMBÉM:

Acordo amplia cooperação entre Brasil e Vietnã

Diversidade feminina é importante para protagonismo do agro

Sindirações promove Workshop presencial em outubro