in ,

Feira do Peixe em Acrelândia (AC) movimenta mercado

Entre os feirantes, estavam produtores rurais atendidos pela ATeG Piscicultura

foto: reprodução

Após dois anos de isolamento, a retomada da Feira do Peixe e Agricultura Familiar, no município de Acrelândia (AC), completou a tradição da Semana Santa, período que movimenta o mercado de peixes pelo alto consumo. A feira teve início na quarta-feira (13) e se encerrou na sexta-feira (15).

Segundo informações divulgadas pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), entre os feirantes da quinta edição estavam produtores rurais atendidos pela Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) Piscicultura – projeto realizado através da parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Acre (Senar/AC) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) para beneficiar a cadeia produtiva no Estado.

Atualmente, mais de 120 piscicultores são beneficiados pelo atendimento 100% gratuito, cujo ciclo de dois anos busca promover mudanças na qualidade de vida dos homens e mulheres rurais. Por meio da ATeG, são desenvolvidas noções gerenciais das propriedades rurais, bem como apoio dos técnicos de campo para garantir uma evolução na qualidade e quantidade das produções.

O secretário de agricultura e meio ambiente de Acrelândia, Mauro Ramalho Correa, explica que esta edição da feira foi realizada através de parcerias entre a Prefeitura, o Senar/AC, Sebrae e outras entidades, que viabilizaram o comércio local em pontos estratégicos do município. 

Além disso, o técnico de campo, Mizael Maciel, que acompanha os produtores atendidos pela ATeG que participaram da feira, elogiou a execução do projeto no município e afirmou que a assistência técnica veio para agregar ainda mais às vidas dos produtores rurais: “Com a retomada da feira após dois anos, estamos muito otimistas em relação ao lucro dos feirantes. O custo de produção das cadeias também aumentou bastante, mas temos conseguido manter o padrão de desenvolvimento. Na piscicultura, a principal mudança observada é na qualidade do produto, que realmente tem feito a diferença para saída de produção. A cadeia está voltando a crescer (também na área quantitativa), e nós vemos que a procura pela oferta destes produtores é grande.”

Sobre a ATeG

Através dessa metodologia, produtores têm tido acesso ao conhecimento especializado para otimizar suas respectivas produções, gerando melhora de qualidade e quantidade dos produtos. Isso impacta diretamente na qualidade de vida dos homens e mulheres do campo, garantindo o desenvolvimento do agronegócio acreano.

No Acre, são atualmente atendidos mais de 600 produtores em 13 municípios, com oferta de ATeG para sete cadeias produtivas como: piscicultura, pecuária de leite e corte, e muito mais.

Fonte: CNA, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Tereza Cristina vai ao Canadá em busca de novas oportunidades

Preço do milho sobe quase 18% após conflito europeu

Debate sobre legislação encerra XIX Congresso de ovos

avicultura

13⁰ Simpósio Técnico da ACAV anuncia nova data

gado girolando 608401238

Polinutri participa de exposição focada na raça Girolando