Patrocinado
MERCADO

Conteúdo

Exportações do agronegócio atingem recorde histórico em setembro

Foram totalizados, entre os meses de janeiro e setembro de 2023, 126,22 bilhões de dólares
feedfood
FOTO: MAPA

As exportações brasileiras de produtos do agronegócio somaram 13,71 bilhões de dólares em setembro de 2023, quantia semelhante à exportada em setembro de 2022, que correspondeu a 48,2% das exportações totais do País, com destaque para a soja em grãos, milho e açúcar.

As vendas externas do agronegócio brasileiro, entre os meses de janeiro e setembro de 2023, somaram 126,22 bilhões de dólares, recorde histórico, que representa um crescimento de 3,6% comparado com o mesmo período em 2022, de 121,87 bilhões.

De acordo com os dados da Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura e Pecuária (SCRI/MAPA), o resultado de setembro foi influenciado pelo recuo do índice de preços dos produtos exportados. Entretanto, a safra recorde de grãos de 2022/2023 possibilitou um aumento de volume exportado pelo Brasil.

As exportações de soja em grãos atingiram volume recorde para os meses de setembro, com 6,4 milhões de toneladas, aproximadamente 60% superior ao exportado no mesmo período do mês do ano passado. A participação da China nas aquisições da soja em grãos também subiram para em torno de 80% do volume comparado ao mesmo período anterior. Já as vendas externas alcançaram 3,30 bilhões de dólares, com alta de 31,8%.

O milho em destaque, tornou a China o principal mercado importador do produto brasileiro. As vendas externas foram de 1,98 bilhão de dólares, mais de 95% do valor total exportado pelo setor, representando a expansão de 10,2% em comparação aos 1,79 bilhão em setembro de 2022.

Em terceiro lugar, o açúcar foi o produto com desempenho mais favorável. As exportações brasileiras subiram de 1,23 bilhão de dólares para 1,60 bilhão, em relação ao período analisado, com aproximadamente 30% de alta. Os preços internacionais continuaram elevados, devido ao déficit hídrico registrado nas lavouras asiáticas e preocupações com uma possível quebra de safra.

Os maiores importadores do produto são a China (US$ 309,85 milhões; +12,3%); o Egito (US$ 144,69 milhões; +240,7%); a Índia (US$ 128,71 milhões; +561,5%); e a Indonésia (US$ 120,18 milhões; +73,3%).

O incremento dos preços médios de exportação em 21,7% é o principal fator responsável pelo aumento do valor embarcado, embora também tenha ocorrido a expansão do volume exportado em 6,3%.

As vendas de soja em grãos e milho foram os produtos que mais contribuíram para o desempenho favorável no acumulado do ano.

Fonte: MAPA, adaptado pela equipe FeedFood.

LEIA TAMBÉM:

PIB do agro tem avanço acumulado de 0,5% em 2023

Ações brasileiras são destaque nas Conferências da FAO

Uso de tanino reduz emissão de GEE em 17% na pecuária