in

Exportações de milho elevam receita em 169,2%

Volume embarcado do cereal foi superior ao recorde registrado em 2017

Volume embarcado do cereal foi superior ao recorde registrado em 2017

Os embarques do milho obtiveram uma alta considerável no mês de agosto, chegando a 169,2% de crescente em receita, pelo montante de US$ 1,34 bilhão no período. A safra recorde foi de 100 milhões de toneladas do cereal.

Em exportação foram 7,6 milhões, superando o recorde anterior de 2017, quando foram exportadas 5,3 milhões de toneladas. Entre os principais destinos estão: Egito (894,3 mil toneladas), Irã (885 mil toneladas), Japão (831,7 mil toneladas), Espanha (798,1 mil toneladas) e Vietnã (633,6 mil toneladas).

Já em relação a soja, o complexo apresentou uma queda no desempenho de 38,7% em comparação ao registrado no mesmo mês do ano passado. A queda, segundo a Secretaria de Comércio e Relações Internacionais (SCRI), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), foi motivado pela diminuição das exportações do grão para China, em razão da febre suína africana que atinge o rebanho país asiático. Além disso, a baixa do preço da commodity no mercado internacional (-10,1%).

Em agosto, o país asiático reduziu as compras do grão para 4,1 milhões de toneladas, menos 2,8 milhões em relação às 6,9 milhões de toneladas exportadas no mesmo período do ano passado. “Deve-se ressaltar que a queda nas exportações de soja em grão à China foi idêntica à queda para o mundo”, diz nota da secretaria. 

Balanço do mês. No total, as exportações do agronegócio foram de US$ 8,27 bilhões, em agosto deste ano, uma redução de 11% em comparação ao mesmo mês do ano passado. “Tal efeito ocorreu em virtude da queda mais pronunciada nas exportações dos demais produtos que não são do agronegócio. Esses produtos tiveram redução de 14,5%, portanto, uma queda superior aos 11% das exportações do agronegócio brasileiro”, diz a nota da secretaria.

Fonte: MAPA, adaptado pela equipe feed&food.

Vetanco celebra sucesso da 12ª edição do SBSS

Produção pecuária alavanca no 2º trimestre