Pesquisar
Close this search box.
Patrocinado
AQUICULTURA

Conteúdo

Exportações de carne de frango crescem 0,9% em maio

Embarques durante o quinto mês do ano totalizaram 433,3 mil toneladas
feedfood
Foto: reprodução

Ao considerar todos os produtos, entre in natura e processados, as exportações de carne de frango totalizaram 433,3 mil toneladas em maio. O volume, como destaca o levantamento realizado pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), supera em 0,9% o total exportado no mesmo período de 2022, quando foram embarcadas 429,6 mil toneladas.

Como detalha o documento, em receita, o resultado das vendas de maio gerou US$ 867,4 milhões, número 4,1% menor que o total registrado no quinto mês de 2022, com US$ 904,6 milhões.

Ao somar o acumulado do ano, de janeiro a maio, as vendas do setor alcançaram volume total 2,183 milhões de toneladas, volume 9,7% superior ao registrado nos cinco primeiros meses de 2022, com 1,990 milhão de toneladas. Neste período, os embarques acumulados chegam a US$ 4,281 bilhões em receita, número 13,4% superior ao mesmo período do ano anterior, com US$ 3,776 bilhões.

Entre os principais destinos das exportações, a China liderou as compras de carne de frango em 2023 (janeiro a maio), com 328 mil toneladas entre janeiro e maio, volume 32,6% superior ao registrado no mesmo período de 2022, com 247,4 mil toneladas. Outros destaques foram o Japão, com 178,7 mil toneladas (+8%), África do Sul, com 162,7 mil toneladas (+12,1%), Arábia Saudita, com 148,1 mil toneladas (+19,4%) e União Europeia, com 101,4 mil toneladas (+3,4%).

“A manutenção das exportações em patamares acima da média recorde mensal de 430 mil toneladas demonstra a percepção internacional sobre a responsabilidade com que o governo e o setor privado do Brasil têm tratado a questão da Influenza Aviária em aves silvestres, ao mesmo tempo em que destaca a confiança do mercado internacional no status sanitário brasileiro, como também na nossa capacidade de garantir a oferta de produtos aos diversos países importadores”, analisa o presidente da ABPA, Ricardo Santin.

Fonte: ABPA, adaptado pela equipe FeedFood.

LEIA TAMBÉM:

Ministérios se unem no combate à Influenza aviária

Especialista fala sobre rotulagem de produtos de pescados

Produção sustentável do pescado: problema ou oportunidade?