in

Exportação de frangos registra alta de 14,4%

China foi principal destino, detendo 14,7% do volume exportado no período

China foi principal destino, detendo 14,7% do volume exportado no período

As exportações de carne de frango totalizaram 381,1 mil toneladas no último mês, segundo os dados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). O volume registrado representa um acréscimo de 14,4% ao mesmo período do ano passado. Em relação a receita, os embarques atingiram US$ 658,9 milhões, uma alta de 27,3% em comparação a maio do ano passado.

Já o acumulado do ano, entre os meses de janeiro e maio, apresentou um acréscimo de 3,6% no volume exportado, chegando a 1,659 milhão de tonelada.  Neste mesmo período, o setor gerou receita de US$ 2,766 bilhões, saldo 6,3% maior que os US$ 2,602 bilhões gerados nos cinco primeiros meses de 2018.

A China se destacou entre os importadores, representando 14,7% do total exportado no mês O país asiático importou 54,8 mil toneladas em maio, volume 49% superior ao efetivado no mesmo período do ano passado.

avicultor_frango_avicultura_reproducao_7

1,659 milhão de tonelada foram embarcadas somente nos cinco primeiros meses do ano (Foto: reprodução)

“A China se isolou como principal destino dos embarques brasileiros.  O efeito gerado no mercado pela crise sanitária no país asiático impulsionou as importações, o que gerou efeitos, também na rentabilidade do mercado, com elevação de preços médios”, ressalta o presidente da ABPA, Francisco Turra.

Além da China, outro importante mercado apresentou alta: os Emirados Árabes Unidos, que chegaram a 30,7 mil toneladas em maio (8,2% do total), saldo 49% acima do realizado no mesmo período do ano passado. A União Europeia também expandiu suas importações de carne de frango do Brasil.  Ao todo, foram 26,2 mil toneladas em maio (7% do total), volume 26% acima do realizado no quinto mês de 2018.

“A disrupção no mercado gerado pela China ocorre em um momento em que outros importadores relevantes incrementaram suas compras.  É há, também, as boas notícias vindas do México, para onde os embarques deverão ganhar novo impulso com a publicação de cotas adicionais de importação”, ressalta o diretor-executivo da ABPA, Ricardo Santin.

Fonte: A.I., adaptado pela equipe Feed&Food.

Turbulências no agronegócio: cada dia conta

Alltech recebe certificação por redução de CO2