in

Estudo revela alta nos preços da carne bovina para 2022

Segundo Cepea, exportações são fundamentais para pecuária nacional

carne vermelha
Foto: reprodução

Durante o ano de 2021, ficou evidente a baixa procura pela carne bovina no Brasil, consequência de uma alta inflação e custos elevados. Neste período, as exportações foram importantes, já que havia uma aquecida procura internacional – especialmente por parte da China – o que acarretou em preços mais altos no mercado interno, chegando a novos patamares e recordes.

De acordo com pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), é muito provável que o mercado externo siga sendo o principal fator de influência sobre os preços internos em 2022:  “A forte queda nos preços da arroba bovina observada entre setembro e outubro de 2021, após a suspensão dos envios de carne de boi à China, mostrou que as vendas externas – especialmente ao mercado chinês – são de grande importância ao setor pecuário nacional”.

No entanto, “mesmo com os envios de carne crescendo para outros destinos nos últimos meses de 2021, como aos Estados Unidos, os embarques à China ainda representam quase metade de tudo o que é exportado pelo Brasil”.

Como também destaca o Cepea, ressalta-se que, diante das circunstâncias, o território nacional ainda deve sofrer com a alta nos preços e baixa demanda doméstica por carne bovina, enquanto as exportações brasileiras poderão ser favorecidas em 2022.

Fonte: Cepea, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Suinocultura deve encerrar ano com bons números

Avicultura se mostra robusta em produção, exportação e consumo

FAESP comemora fim de embargo chinês à carne bovina

Encontro debate apoio a produtores afetados por estiagem

CARGILL

Projeções indicam boas expectativas para a suinocultura