Patrocinado
BOVINOCULTURA

Conteúdo

Estados Unidos seguem como principal destino da carne bovina

feedfood
brasileua xlWd8N7

Após considerável período de embargo chinês, imaginava-se que a retomada de relação culminaria na China frente aos outros países quando o assunto é importação da carne bovina brasileira. No entanto, como mostram os dados da Secex, quem assumiu tal posto no último mês foram os Estados Unidos.

De acordo com o levantamento, os embarques de dezembro voltados à país norte-americano registraram novo recorde mensal, de 30,3 mil toneladas, resultado que sustentou o país como o maior destino da proteína brasileira pelo segundo mês seguido. Perante a China, montante foi de apenas 6,79 mil toneladas.

Para pesquisadores do Cepea, esse resultado está atrelado, entre outros fatores, ao Real desvalorizado frente ao dólar, o que torna a carne nacional bastante competitiva e atrativa aos norte-americanos.

“Vale ressaltar que os Estados Unidos são grandes produtores de proteína bovina, mas também são importantes demandantes – o país tipicamente exporta carne cara e importa carne barata. Em 2021, a carne brasileira foi enviada aos Estados Unidos à média de US$ 7,26/kg, avanço de 1,8% frente à de 2020 (de US$ 7,14/kg)”, destaca o Centro de Estudos.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Suinocultura deve encerrar ano com bons números

Avicultura se mostra robusta em produção, exportação e consumo

FAESP comemora fim de embargo chinês à carne bovina