in

Encontro debate entrada de AgTechs brasileiras nos E.U.A

“O comércio do Brasil com a região Sudeste dos Estados Unidos é dinâmico”, afirma cônsul

shutterstock ojrFPhg
REPRODUÇÃO

Wellington Torres, em casa

[email protected]

Não é de hoje – e muito menos uma novidade – que o modo de produção do agronegócio brasileiro chama atenção de outros países, como os Estados Unidos. Para facilitar a troca de informações e até mesmo a entrada de startups brasileiras com foco no agronegócio – as AgTechs – em solo norte-americano, webinar foi realizado nesta quarta-feira (08).

O encontro on-line, elaborado pela Brazilian-American Chamber of Commerce of the Southeast, em parceria com o Consulado-Geral do Brasil em Atlanta, teve como mote o tema “Oportunidades de negócios AgTech para empresas brasileiras nos EUA”. Ação contou com a participação do Gerente Nacional do Brasil da VetFamily, Henry Berger; do CoFundador da AgTech Garage, Marcelo Pereira de Carvalho; do Diretor editorial da feed&food, Diogo Ciasulli; do CoFundador da Agroven, Bernardo Costa; do CEO da Bovcontrol, Danilo Leão; do Gerente de Operação na América do Norte da Apex-Brasil, Fernando Spohr e do Gerente de Operações da Forquimica, Reginaldo Zandonade.

Segundo o embaixador do Brasil em Washington, Nestor Forster Jr., a Embaixada está sempre atenta aos Estados americanos dos quais lideranças empresariais dos dois países trabalham para tornar a parceria bilateral mais pujante.

“As realizações do Brasil na agricultura falam por si mesmas. Em décadas recentes, o País se tornou, ao lado dos Estados Unidos, uma verdadeira potência agrícola – ao mesmo tempo que tem reforçado o compromisso com o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável”, exemplificou, ao lembrar que nação deixou a posição de importadora de alimentos para “assumir a responsabilidade de alimentar cerca de 1 bilhão de pessoas ao redor do mundo”, o que fomenta a discussão levantada pelo webinar.

Perante as proteínas animais, Forster Jr. também destacou o elevado desenvolvimento dos setores produtivos: “Nos últimos 30 anos, a pecuária apresentou crescimento de 140%, enquanto a área dedicada à pastagem diminuiu 15%. Tal salto de produtividade não é obra do acaso, é resultado dos avanços científicos e tecnológicos proporcionados pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa)”.

Ainda de acordo com ele, mudanças estão atreladas à capacidade de inovação do homem do campo. “Como exemplo, temos a presença no mercado nacional de mais de mil e quinhentas empresas do chamado AgTech, que, por meio do projeto Startout Brasil, o governo federal às projeta internacionalmente”.

image 1
Aproximação entre países será cada vez maior, alerta Forster Jr. (Foto: reprodução)

Em complemento, o cônsul-geral do Brasil em Atlanta, Carlos Abreu, também expôs que relação entre nações possui grande potencial. “O comércio do Brasil com a região Sudeste dos Estados Unidos é dinâmico, cresceu de 4,7 bilhões de dólares para 6 bilhões de dólares nos últimos 10 anos, alta de 29%”.

“Hipoteticamente, se os cinco Estados, na jurisdição desse consulado (Georgia, Alabama, Mississipi, Carolina do Sul e Tennessee) fossem um país, ele seria o 14° maior parceiro comercial do Brasil, situando-se entra a França e o Canadá”, contou.

Para auxiliar empresas, a Apex-Brasil, responsável por ofertar aporte na internacionalização e representada no encontro por Fernando Spohr, destacou soluções durante processo de mudança. “Entendemos que ato é muito importante, por isso ofertamos treinamento para as empresas se internacionalizarem, como com o que é preciso ou para onde ir, visando uma entrada efetiva”.

Espera-se, com foco no Estado da Georgia, que comercio bilateral atinja novo recorde em 2021. Em 2019, relação resultou em 2 bilhões e 400 milhões de dólares.

O encontro, que pode ser reassistido pelo Youtube e pavimenta território para a próxima edição da International Production & Processing Show (IPPE), foi moderado pelo Sócio da Drummond Advisors, Pedro Drummond e contou com abertura realizada pela presidente da Brazilian-American Chamber of Commerce of the Southeast (BACC-SE), Lucia Jennings.

Feed&food marcando presença

Durante encontro, quem também marcou presença, ao ressaltar a importância dos meios de comunicação na divulgação do desenvolvimento nacional, foi o diretor editorial da Feed & Food, Diogo Ciasulli. Profissional ressaltou os esforços das AgTechs em inovar.

“O Brasil está em uma era de captura e agregação de valor para impulsionar ações de inovação. As oportunidades são inúmeras e neste cenário teremos cada vez mais instrumentos para crescer”, comemorou.

image
Encontro ocorreu nesta quarta-feira (08), via Zoom (Foto: reprodução)

SANPHAR 3

Em prol da avicultura, SANPHAR se reúne com especialistas

DE HEUS vietna

Rações e premix: De Heus amplia negócios no Vietnã