in

Embrapa realiza estudos para redução de GEE

As pesquisas são realizadas em sistemas de produção de bovinos de corte e leite

reprodução

Durante a 26ª Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU), em 2021, o Brasil assumiu o compromisso de reduzir a emissão de metano em 30% até o ano de 2030. E hoje, para reforçar este pacto, no dia 16 de março, considerado o Dia Nacional da Consciência sobre Mudanças Climáticas, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Pecuária Sudeste  em São Carlos (SP) tem realizado estudos para a redução de Gases de efeito estufa (GEE).

A pesquisa tem sido realizada, até o momento, em sistemas de produção de bovinos de corte e de leite, buscando a baixa emissão de gases de metano, a fim de diminuir o impacto da atividade no clima.

O centro de pesquisa, localizado no interior de São Paulo, trabalha com tecnologias tanto para mitigação de metano, como para mensurar as emissões, seguindo metodologia reconhecida internacionalmente.

Entre os recursos tecnológicos à disposição do setor estão: Recuperação de pastagens degradadas, boas práticas de manejo animal e vegetal, uso adequado de insumos, bem-estar animal, redução do ciclo de vida e manejo nutricional. 

Para o chefe-geral da Embrapa Pecuária Sudeste, Alexandre Berndt, a adoção dessas tecnologias e boas práticas, como sistemas integrados, manejo intensivo das pastagens e uso de aditivos na nutrição animal, é capaz de compensar as emissões geradas pela pecuária e tornar o sistema de produção mais sustentável.

Em relação à mensuração de emissões, são realizadas coletas de metano dos animais por meio de uma canga tubular acoplada a um cabresto, colocado logo atrás da cabeça do bovino. A canga permanece por 24 horas armazenando os gases. Mais de 90% desses gases produzidos pelo gado são emitidos pela boca e narinas, pelo processo natural de eructação. Após o período, o tubo é retirado e vai para análises no laboratório. As coletas são feitas a partir de uma amostra de animais por um determinado tempo em diferentes estações do ano.

Os resultados das pesquisas e avanços tecnológicos da Embrapa Pecuária Sudeste têm contribuído com as alternativas para adaptação e mitigação frente aos efeitos das mudanças do clima, colocando a descarbonização como meio para o desenvolvimento mais sustentável da pecuária brasileira.

Para saber mais sobre a ferramenta, assista ao vídeo, clicando aqui.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Conflito em leste europeu impacta setor suinícola brasileiro

Período de vacinação contra febre aftosa começa em maio

Ceva alerta produtores sobre Pleuropneumonia Suína

alltech

Alltech investe em pesquisas in vivo

ipvs2022 241027

26º Congresso IPVS2022 acontecerá no Rio de Janeiro