in

Embrapa e INTA se unem e lançam manual sobre impacto ambiental

Ferramenta é indicada tanto para produtores quanto para formuladores e gestores de políticas públicas

tecnologia rural
Foto: reprodução

Ao visar novos projetos que amenizem os impactos ambientais, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), com a assistência do  ‘Ministério de Agricultura, Ganadería y Pesca’ da Argentina, o ‘Instituto Nacional de Tecnología Agropecuaria’ (INTA), lançaram no dia 28 de dezembro de 2021, pelo canal do INTA, o Manual do ‘Sistema de Evaluación Ponderada de Impacto Ambiental (SEPIA): una herramienta de trabajo para la gestión sostenible de los territórios’.

De acordo com os autores do projeto, muitos produtores rurais almejam entregar sustentabilidade como compromisso e, por conta disso, a busca pela prática cresceu ainda mais, resultando em eficiência produtiva e o uso racional dos recursos naturais. Os métodos de avaliação de impacto ambiental, implementados a partir de ações participativas e interdisciplinares, são ferramentas adequadas para canalizar uma abordagem ampla para o desenvolvimento e a gestão ambiental das atividades agropecuárias.

A ferramenta “SEPIA” é uma adaptação do Sistema APOIA-NovoRural que monitora as condições ambientais, normativas, agronômicas e o contexto rural da Argentina. O objetivo dos ajustes do material é facilitar a  aplicação junto aos produtores, capaz de acompanhar processos de desenvolvimento e melhorias vinculadas às atividades produtivas urbanas intensivas e áreas periurbanas. 

Os novos recursos adicionados serão eficazes e fortalecem a implementação de políticas públicas e modelos de produção agrícola. Além disso, com a iniciativa coordenada pela equipe da ‘‘Dirección Nacional de Planificación Seguimiento y Evaluación’ do INTA junto ao ‘Programa Nacional Hortaliças, Flores e Aromáticas’ e em colaboração com a Embrapa Meio Ambiente, busca-se avaliar e promover a sustentabilidade das propriedades rurais. A aplicação do método dirige-se à identificação de pontos críticos para a correção da gestão e à documentação, assim como a comunicação de vantagens comparativas observadas nos estabelecimentos rurais, favorecendo sua participação no competitivo mercado de frutas e hortaliças.

Os gráficos agregados de resultados para as diferentes dimensões ambientais proporcionam aos tomadores de decisão uma visão das contribuições, positivas ou negativas, da atividade rural para o desenvolvimento local sustentável, facilitando a definição de medidas de fomento ou controle, no âmbito do território. Finalmente, o Índice de sustentabilidade expresso no SEPIA se configura como uma unidade padrão de desempenho ambiental, servindo como medida objetiva para a qualificação e eco-certificação dos produtos.

Segundo a Embrapa, o SEPIA, portanto, é uma ferramenta útil tanto para os produtores, individualmente ou em grupos organizados, quanto para os formuladores e gestores de políticas públicas, contribuindo para o desenvolvimento local sustentável.

Para saber mais sobre o projeto, clique aqui.

Fonte: Embrapa, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Suinocultura deve encerrar ano com bons números

Avicultura se mostra robusta em produção, exportação e consumo

FAESP comemora fim de embargo chinês à carne bovina

carne de hamburguer

Marfrig amplia exportação de produtos aos Estados Unidos

Preços dos ovos bateram novo recorde durante 2021