in

Em prol da proteína brasileira, ABPA realiza campanha na Coreia do Sul

Ação quer exaltar atributos da carne de frango e da carne suína do Brasil

COREIA DO SUL

A fim de estreitar laços com a Coreia do Sul, Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) promove campanha de imagem no país asiático. Iniciativa conta com o apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e da Embaixada Brasileira em Seul.

Segundo a ABPA, ação quer exaltar atributos da carne de frango e da carne suína do Brasil – como a qualidade dos produtos e o status sanitário da produção brasileira –, por isso, contará com 362 telas de mobiliário urbano, instalados nas movimentadas estações de metrô e terminais de ônibus da capital sul-coreana. Para ação, foram escolhidos 17 locais estratégicos de Seul.

“A campanha da ABPA acontece pouco após o reconhecimento dos estados do Rio Grande do Sul e Paraná – respectivamente, segundo e terceiro principais produtores de carne suína do Brasil – como áreas livres de aftosa sem vacinação. O status obtido junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) reforça a qualidade e a sanidade do produto brasileiro exportado, especialmente para alguns mercados de alto valor, como é o caso da Coreia do Sul”, explica a Associação.

Ação deve durar cerca de um mês (Foto: reprodução)

Relação Brasil-Coreia do Sul

Atualmente, o país asiático é o quarto principal importador mundial de carne suína, com 570 mil toneladas, equivalente a cerca de US$ 1,38 bilhões ao longo de 2020 – atrás apenas de China, Japão e México. O Brasil ainda possui uma baixa participação no mercado – cerca de 5 mil toneladas exportadas no mesmo período. Hoje, somente Santa Catarina embarca produtos para as gôndolas coreanas, situação que pode ser incrementada com a possível entrada de exportadores gaúchos e paranaenses neste mercado.

“É preciso ainda um certo tempo até o reconhecimento da Coreia do Sul sobre este status, mas o reconhecimento do país para a certificação da OIE tem potencial de elevar nossa capacidade de fornecimento para estes mercados, gerando oportunidades novas e valiosas para os exportadores brasileiros. A ação de imagem ocorre neste contexto, em que reforçamos à comunidade Sul-Coreana nossas intenções em fornecer ao país produtos seguros e de alta qualidade”, ressalta o presidente da ABPA, Ricardo Santin.

Também vale ressaltar que o Brasil é o maior fornecedor de carne de frango para a Coreia do Sul, em números bastante representativos. Cerca de 80% da carne de frango importada pelo país é proveniente do Brasil. “Ao todo, foram embarcadas para lá 127,4 mil toneladas de produtos avícolas brasileiros em 2020, gerando receita de US$ 196,6 milhões. O país é o 8° entre os maiores importadores de carne de frango do Brasil”, destaca a ABPA.

Fonte: ABPA, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Contínua valorização do milho afeta pecuaristas

SP realiza Fórum sobre retirada da vacinação contra Febre Aftosa

MAPA

Internet 5G para uso no agro é testada em Sorocaba (SP)

Kemin destaca possibilidade de reduzir custo da ração do frango