in

Elanco patrocina Confina Brasil 2021 no segmento de saúde animal

Projeto tem objetivo de entender a realidade dos confinamentos brasileiros

A Elanco Saúde Animal, segunda maior empresa do setor no mundo, e terceira no Brasil, é a única patrocinadora do segmento de saúde animal para o projeto Confina Brasil 2021, lançado hoje, dia 21 de junho, sob a coordenação da Scot Consultoria. O projeto tem o objetivo de entender a realidade dos confinamentos brasileiros a partir de um minucioso levantamento de dados da produção intensiva de bovinos de corte no Brasil. O Confina Brasil 2021 vai avaliar pequenos, médios e grandes confinamentos, incentivando o conhecimento sobre a pecuária a todos os elos da cadeia, fomentando novas tecnologias e boas práticas.

A expedição vai mapear 40% do gado confinado em 14 estados da União, em um total de 120 propriedades que serão visitadas presencialmente, seguindo todos os protocolos de segurança sanitária. Serão coletadas informações gerais sobre manejo, condutas nutricionais, métodos terapêuticos e preventivos, capacidade de operação, entre outras. O levantamento ainda contará com a atualização das informações a respeito dos confinamentos que participaram da edição do ano passado. Segundo a Scot Consultoria, os dados são relevantes à pecuária brasileira e influenciam a tomada de decisão do setor.

“Como patrocinadora exclusiva do projeto no setor da saúde animal, a Elanco acompanhará toda a expedição, visando fortalecer ainda mais o relacionamento que já temos com o produtor de gado de corte brasileiro. Esse diálogo é fundamental para que consigamos desenvolver soluções cada vez mais adequadas à realidade do confinamento brasileiro, em conformidade com o bem-estar animal. O projeto também segue alinhado com a meta global da Elanco de melhorar a saúde e o bem-estar de mais de 3 bilhões de animais, em todo o mundo, até 2030”, diz Matheus Marinho, gerente de marketing da divisão de Ruminantes da Elanco.

Na primeira etapa da expedição, a agenda do Confina Brasil 2021 prevê visitas a confinamentos da região Sul do país, nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Os dados completos do levantamento deverão ser compilados até o final do ano.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Contínua valorização do milho afeta pecuaristas

SP realiza Fórum sobre retirada da vacinação contra Febre Aftosa

Inscrições para 13º Simpósio Brasil Sul de Suinocultura estão abertas

Adisseo lança bolsa de pesquisa internacional