in

Custos de produção de frango de corte crescem 19,63%

Segundo a CIAS, é o maior acumulado em cinco meses, desde que o ICPFrango foi criado

A carne de frango no Brasil, sem dúvidas, está entre as proteínas mais consumidas. Contudo, como um sinal de alerta, custos da produção de frangos aumentaram quase 20% entre janeiro e maio e devem afetar preços finais.

De acordo com texto da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), ao utilizar como base os dados coletados Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa (CIAS), os custos de produção de frangos de corte já subiram 19,63%, especificamente, entre os cinco primeiros meses do ano. “É o maior acumulado em cinco meses, desde que o ICPFrango foi criado em 2010. Aumentos semelhantes ocorreram nos anos de 2018 (17,61%), 2016 (16,56%) e 2012 (16,23%)”, explica a Empresa.

Somente no mês de maio, o ICPFrango subiu 5,55% em relação a abril. “A alimentação impactou em 76,23% dos custos totais de produção, sendo que em maio a variação foi de 5,17%. Com isso, o índice de custo de produção calculado pela Embrapa chegou aos 407,72 pontos, novo recorde desde que o ICPFrango foi criado. O custo de produção do quilo do frango de corte vivo no Paraná, produzido em aviário tipo climatizado em pressão positiva, passou dos R$ 4,99 em abril para R$ 5,27 em maio”, ressalta a Embrapa.

(Foto: reprodução)

ICPSuíno

Não tão distante, o ICPSuíno também apresentou alta. Neste caso, somativa subiu 3,21% em maio na comparação com abril. No ano de 2021, este índice acumula alta de 10,82% nos custos totais de produção de suínos.

Segundo a Embrapa, nos últimos 12 meses, a variação é de 47,25%. Com isso, o custo por quilo vivo de suíno produzido em sistema de ciclo completo em Santa Catarina subiu R$ 0,27 entre abril e maio, chegando a R$ 7,30.

Fonte: Embrapa, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Contínua valorização do milho afeta pecuaristas

SP realiza Fórum sobre retirada da vacinação contra Febre Aftosa

carne de frango

Exportações de frango de Santa Catarina crescem 13%

Desempenho do agro está diretamente ligado às exportações