in

Custo do leite ao produtor tem retração em abril

Limitação da oferta no campo elevou os índices no primeiro trimestre

Limitação da oferta no campo elevou os índices no primeiro trimestre

A valorização do leite ao produtor perdeu significativamente sua força de março para abril. A alta registrada neste período foi de um centavo por litro. Já no primeiro semestre do ano, o acumulo levou a um acréscimo de 18,9%, de acordo com os dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

As altas observadas no primeiro trimestre, segundo os pesquisadores, estão atreladas à limitação da oferta no campo e à maior competição das indústrias para garantir a compra de matéria-prima. Os especialistas também pontuam que a formação do preço do leite ao produtor é diretamente influenciada pelo desempenho das vendas dos derivados no mês seguinte à captação.

producao_leite_feefood_reproducao_8

Acumulado da primeira quinzena de abril registrou alta de 6,7% nas cotações diárias do leite UHT (Foto: reprodução)

A dificuldade das empresas em elevar os preços dos lácteos ao consumidor sem prejudicar suas ações limitou o movimento de valorização no campo em abril. Para garantir liquidez, agentes de laticínios mudaram suas estratégias e trabalharam com a diminuição dos estoques.

Dentro da porteira. A produção também segue limitada devido ao clima desfavorável. O Índice de Captação Leiteira do Cepea (ICAP-L) registrou queda de 1,6% na “Média Brasil” de fevereiro para março. Entre os Estados que apresentam reduções expressivas estão: Rio Grande do Sul (6,4%), Santa Catarina (4,1%) e São Paulo (3,5%). Os volumes em Goiás e Minas Gerais caíram ligeiramente (1,7% e 0,4%, respectivamente), enquanto Paraná e Bahia apresentaram altas (de 3,9% e 9%, nesta ordem).

Fonte: Cepea, adaptado pela equipe Feed&Food.

Balança comercial paulista registra baixa

Contribuição sindical x demandas do setor