in

Crescimento da atuação feminina no agro vira destaque

Senar realizou live para debater a atuação feminina no campo

mulheres
foto: reprodução

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) realizou, na última quarta-feira (11), a live “Mulheres que fazem a diferença no agro” com o objetivo de debater a atuação feminina no campo.

O encontro foi moderado pela coordenadora de Projetos da Diretoria de Assistência Técnica do Senar, Bárbara Evelyn Silva, e contou com a participação da jornalista e produtora rural, Daniela Germano; da técnica de campo do Senar Minas, Pércia Rocha; e da produtora rural e proprietária da Nena Alimentos, Vanessa Lima.

“Atualmente 6,2 milhões de mulheres desempenham funções no agro e 18% dos estabelecimentos rurais são administrados por produtoras, o que representa cerca de 30 milhões de hectares. Isso demonstra que há, de fato, um crescimento na valorização da força de trabalho feminina e na transição da mulher dentro do setor”, afirmou a coordenadora de Projetos da Diretoria de Assistência Técnica do Senar, Bárbara Silva.

Durante a live, Vanessa contou sobre o desafio de cursar Agronomia, os primeiros cultivos na área de horticultura e a ideia para criar a Nena Alimentos, em Cristalina (GO). A empresa, que trabalha com a produção de abóbora, cebola e alho, tem inspiração feminina desde a cor rosa da marca.

“Nosso foco é a produção de alimentos por mulheres do agro. Tenho uma equipe maravilhosa e, trabalhando juntas, conseguimos mostrar ainda mais a nossa força e capacidade”, conta Vanessa.

Pércia, adiou o sonho de atuar no agro por muito tempo até que decidiu fazer um curso técnico de agricultura e zootecnia. Depois disso, a carreira deslanchou: fez graduação, mestrado, estagiou na Embrapa e se tornou técnica de campo do projeto FIP Paisagens Rurais, no Senar Minas.

“A persistência cria caminhos. Só não consegue aquela pessoa que desiste. Fico muito feliz de hoje ter essa representatividade e conseguir incentivar outras mulheres a vir com a gente e fazer a diferença”, declara Pércia.

Apesar de ter nascido na área rural, Daniela foi estudar em Uberaba (MG) e acabou optando por uma vida urbana. Foi a maternidade e a vida agitada que fizeram ela repensar essa escolha e encarar o desafio de retornar ao campo. Hoje, a jornalista, o filho e o marido vivem em uma pequena propriedade no município de Prados-MG.

“Na infância eu brincava com bezerros, vacas e cachorros. Queria que meu filho também tivesse essa vivência e fosse criado com mais liberdade. Com todas as dificuldades que passamos, acho que hoje somos mais felizes e temos certeza absoluta de que é isso que queremos para nossas vidas. As coisas só acontecem se você buscar e acreditar”, destaca Daniela.

Fonte: Senar, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

MAPA aponta dicas para compra de pescados

Agro brasileiro amplia exportações durante mês de março

13⁰ Simpósio Técnico da ACAV anuncia nova data

IZ atua no desenvolvimento de pesquisas de produção avícola

drone satelite embrapa

Agronegócio se beneficia do uso de drones e satélites