in

Consumo per capita de carne suína cresce no Brasil

Incentivo ao consumo por meio de campanhas tem ampliado procura

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam crescente no consumo de carne suína no Brasil. Em 2020, balanço atingiu 16,9 kg per capita, atualmente consumo chega a 17,58 kg, um marco histórico para a carne suína no Brasil.

Desde 2015, de acordo com análise feita pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) , o brasileiro mantém a média de cerca de 89 kg per capita de carne consumidas ao ano, mas tem feito mudanças inteligentes para poder continuar consumindo proteína com mais frequência a um custo mais acessível.

Neste cenário, a carne suína aumentou mais de 2,4kg até 2020, enquanto a carne bovina diminuiu cerca de 3.9 kg per capita. A expectativa é que em 2021, essa troca se torne ainda mais expressiva devido às altas de preços do boi e ao momento econômico que o brasileiro vem passando, o que trouxe oportunidades para mostrar ainda mais as vantagens de inserir carne suína no dia a dia dos brasileiros.

O presidente da ABCS, Marcelo Lopes, avalia que a carne suína vem ganhando espaço entre os consumidores, em detrimento de outras proteínas há cerca de 5 anos pela sua vantagem de custo benefício e seu sabor, mas principalmente pelo trabalho sistêmico de educação que tem sido desenvolvido. “Podemos considerar esse aumento fruto do árduo trabalho de todo o setor, que vem se empenhando em produzir carne suína com o máximo de qualidade, aumentando a produtividade, inovando na apresentação dos cortes, e também trabalhando a divulgação de informações corretas junto aos consumidores”. 

Incentivo ao consumo por meio de campanhas

Dentro dessas ações a ABCS vem investindo em campanhas de marketing e promoção da carne suína, como a Semana Nacional da Carne Suína (SNCS), que acontece anualmente ao lado das maiores e melhores redes de varejo do país, crescendo em número de redes, lojas, estados abrangidos, trabalhadores capacitados e clientes impactados a cada edição.

Este ano com a adição de 10 redes de varejo, que entram com 22 bandeiras de supermercados, hipermercados e hortifrútis, 1.847 lojas presentes em todas as regiões do Brasil, a SNCS aproveita o tema churrasco, como um gancho para inserir mais ainda a carne suína na cultura dos brasileiros, mostrando que ela pode preencher a lacuna para quem quer continuar aproveitando essa atividade com muita qualidade e sabor.

Além disso, para se aproximar dos pequenos e médios varejistas e dos públicos C, D e E, a ABCS protagonizou a campanha “Carne de porco: bom de preço, bom de prato”, que vem atuando em parceria de todas as associações e frigoríficos contribuintes com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS), desde o mês de Abril de 2021, e já resultou em quase R$1 milhão em venda de carne suína, com mais de 44 toneladas de carne vendidas em 5 estados e no Distrito Federal. 

Trabalho de marketing no setor

Além de grandes campanhas, o trabalho do marketing como ferramenta tem sido fundamental para divulgar a carne suína, criando possibilidades para que o consumidor possa ver a proteína como um universo de possibilidades, e não só um prato para ocasiões tradicionalmente especiais.

Através da criação do conceito Escolha Mais Carne Suína, de cartilhas com receitas e de ações realizadas ao longo de todo o ano, a ABCS e todas as associações que compõe o Sistema, tem se empenhado em dialogar com nutricionistas, chefs de cozinha, merendeiras, influenciadores, estudantes de gastronomia, nutrição e veterinária, e todos os agentes que podem atuar como propagadores dessa ideia.

Para a diretora de marketing e projetos da ABCS, Lívia Machado, o trabalho de promoção da carne suína está em agregar valor, criar oportunidades e conquistar o direito da atenção dos consumidores através da jornada estratégica que vem sendo trilhada pela ABCS, com apoio do FNDS.

“Temos crescido muito com ações e iniciativas para aumentar o consumo de carne suína através de um trabalho sistêmico e investimentos de toda a cadeia. Esses resultados nos mostram que estamos no caminho certo, que a suinocultura brasileira ainda tem muito a crescer, e aponta também o potencial do conceito Escolha Mais Carne Suína como uma plataforma de conexão com os consumidores, que pode impulsionar ainda mais os bons resultados que já temos, assim como em cases de benchmarking na União Europeia e nos Estados Unidos.” 

Fonte: ABCS, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Grupo Bayer no Brasil terá primeira mulher presidente

J.A Saúde Animal comunica falecimento de Diretor-Executivo

BRF reduz em 4% consumo de água e economiza 473 milhões lt

Peixe BR empossa nova diretoria para atuação em 2022

CBNA encerra primeira fase do Ciclo de Palestras