Pesquisar
Close this search box.
Patrocinado
MERCADO

Conteúdo

China: habilitação de frigoríficos seguirá ordem cronológica

Primeira lista apresentada pelo Brasil contava com 62 plantas frigoríficas
feedfood

O governo chinês solicitou ao Brasil que encaminhasse uma lista reduzida de frigoríficos a serem habilitados para exportação de proteína animal ao país. Por isso, o ministro da Agricultura e Pecuária (MAPA), Carlos Fávaro, se reuniu na última quinta-feira (24) com representantes da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) para ouvi-los antes de tomar a decisão final sobre o número de plantas a compor a nova lista. 

A primeira lista apresentada pelo Brasil ao país asiático contava com 62 plantas frigoríficas que já cumpriram os requisitos sanitários exigidos e aguardam a habilitação, além de uma segunda lista com mais 15 plantas em avaliação.

Uma nova lista reduzida será encaminhada na próxima segunda-feira (28) para a Administração Geral de Alfândega da China (GACC). “Estamos buscando adequar ao que nos foi solicitado, de forma que a nova lista simplifique o processo para que nós possamos ter novas plantas habilitadas ainda neste ano”, comentou o ministro Carlos Fávaro.

“Iremos seguir a ordem cronológica de início do processo das plantas que realizaram todos os procedimentos necessários para a habilitação, esse é o critério técnico que devemos adotar”, acrescentou o ministro.

Além disso, Fávaro aceitou a proposta discutida na reunião de permitir o remanejamento de lugares entre frigoríficos do mesmo grupo empresarial que possuírem mais de uma planta na lista. 

Por exemplo, o frigorífico que está na 13ª posição trocar de lugar com a sua unidade de produção que está na 47ª. Isso não significa que a planta passou na frente de outros frigoríficos da lista, apenas trocou a posição uma pela outra por serem da mesma empresa.

A China é o principal destino das exportações de carne bovina, suína e de frango do Brasil, se configurando como principal parceiro comercial para a proteína animal.

Fonte: MAPA, adaptado pela equipe FeedFood.

LEIA TAMBÉM:

Cientista Nobel da Paz propõe modelo brasileiro como solução 

Ferramenta ajuda pecuarista a organizar venda de animais em remates 

Carlos Fávaro reforça incentivos à pecuária leiteira     

Patrocinado
Patrocinado