in

CEO da Siil Halal parabeniza indústria brasileira

Esforços para adequação proporcionaram habilitação de novas plantas

reprodução
Esforços para adequação proporcionaram habilitação de novas plantas

Ao atender e aplicar as exigências estabelecidas pela autoridade sanitária da Arábia Saudita, setores da cadeira produtiva do agronegócio brasileiro podem comemorar. Segundo informações divulgadas pela Siil Halal, oito novas empresas estão aptas para exportar ao País Árabe, o que foi parabenizado pelo o CEO da empresa, Chaiboun Darwiche.

“Os esforços dessas empresas em aplicar as exigências requeridas pela autoridade sanitária da Arábia Saudita (SFDA, na sigla em inglês) resultou neste anúncio que traz para as 8 empresas novos negócios, além de fortalecer o setor”, destacou Darwiche.

Segundo o CEO, todos os frigoríficos habilitados demonstraram que estão alinhados com os padrões necessários para atender o mercado saudita. “Não é uma tarefa simples acessar estes mercados. Sinal de que essas empresas vêm fazendo o dever de casa com intuito de acessar mercados mais exigentes”, parabenizou.

Ainda segundo ele, as habilitações refletem o compromisso brasileiro com a produção mundial de alimentos e, adicionalmente, gerar trabalho e riqueza para o País. “Chama a atenção neste anúncio a competência dessas empresas e visão de negócio. São indústrias de pequeno e médio porte que passaram a fazer parte de um seleto grupo de empresas aptas a acessar mercados com um público consumidor exigente. Isso é bom para o país”, afirmou. 

Os estabelecimentos habilitados são o Fortefrigo, de Paragominas, no Pará; Better Beef, de Rancharia, em São Paulo; Rio Grande Comércio de Carnes Ltda., de Imperatriz, no Maranhão; Plena Alimentos, de Pará de Minas, em Minas Gerais; Indústria e Comércio de Alimentos Supremo, de Ibirité, em Minas; Frigol, de São Félix do Xingu, no Pará; Maxi Beef Alimentos do Brasil, de Carlos Chagas, Minas; e Distriboi – Indústria, Comércio e Transporte de Carne Bovina, de Ji-Paraná, em Rondônia.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe feed&food.

Produção de ovos orgânicos será foco de curso

EUA avalia retomar a importação de carne do Brasil