in

Casca de ovo pode ser reutilizada de diferentes formas

Matéria-prima é rica em nutrientes e aplicável à indústria

A utilização consciente de suplementos é essencial para a sustentabilidade, quando trabalhada corretamente. Como exemplo disso, empresa destaca possibilidades da casca do ovo, rica em nutrientes e aplicável à indústria.

De acordo com a Katayama Alimentos, a casca do ovo é fonte rica em cálcio, sendo que 2,7 g do pó fornecem a quantidade diária recomendada do mineral para um adulto. Assim como, também serve como base para o desenvolvimento de produtos da indústria cosmética, suplementos alimentares, bases biocerâmicas, fertilizantes e implantes ósseos e dentários.

“A casca do ovo apresenta propriedades e nutrientes significativos que não devem ser desprezados ou descartados. Afinal, estamos falando de um elemento multifuncional e muito versátil, com aplicações e utilidades diversas, nas áreas da saúde, beleza, limpeza, jardinagem, mineração, decoração e arte, entre outros”, destaca a empresa, ao pontuar que, além do cálcio (Ca), outros minerais são encontrados em menores concentrações, como o magnésio (Mg), ferro (Fe) e selênio (Se).

Como explica a nutricionista clínica, esportiva e ortomolecular, mestre e doutora em nutrição e consultora técnica da Katayama Alimentos, Dra. Milena Cornacini, o pó da casca de ovo é uma fonte de cálcio viável e de fácil acesso, que pode contribuir na prevenção da deficiência desse mineral, em especial na redução do risco de osteoporose, em pessoas de diferentes grupos etários e extratos sociais. “Cerca de 2,7 g do pó contribuem para a quantidade diária recomendada do cálcio para um adulto. Porém, é importante sempre seguir a recomendação e orientação de um especialista (nutricionista)”, afirma.

Contudo, qualquer aplicação desse novo produto deve estar assegurada pelos parâmetros microbiológicos dos produtos para evitar possíveis contaminações. Por isso, a empresa recomenda a seguinte técnica de higienização: “lavagem em água corrente, imersão em solução de hipoclorito de sódio por 10 minutos e fervura em água durante 10 minutos. Após esse procedimento, o ideal é que as cascas sejam secas em estufa ou fornos a uma temperatura de 50°C para eliminar toda umidade (por 2 horas), depois trituradas em liquidificador e peneiradas. Para armazenamento, utilizar um recipiente seco e limpo, tampado e protegido do calor”.

Segundo Dra. Milena, produto bem seco pode ter duração de aproximadamente quatro meses, segundo recomendação da Dra. Milena.

Outras possibilidades com a matéria-prima

Ao funcionar como carta coringa, a casca do ovo pode ser utilizada na composição de fertilizante orgânico, já que é uma fonte de nutrientes importantes como o cálcio e o magnésio. “Apesar da casca do ovo não ser utilizada em grande escala na agricultura, ela pode ser aplicada no cultivo das plantas de jardins (superfície do solo) e plantio de plantas (sulco e/ou cova). Quanto menor o tamanho das partículas da casca do ovo, mais rápido será o seu processo de decomposição, disponibilizando, assim, os nutrientes mencionados para as plantas e culturas diversas”, explica o engenheiro agrônomo e gestor de operações fertilizantes da Terra Nascente Fertilizantes, uma das empresas do Grupo Katayama, Rafael de Melo Sousa.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Rodada de Negócios aproximará empresas brasileiras de russas

Gerência e planejamento devem estar no radar do agrônomo

ABPA rebate fala de ministro francês sobre carne de frango

Exportações do Agro brasileiro atingem novo recorde

Pescados: automação será tema de live da IFC TV