Patrocinado
SUINOCULTURA

Conteúdo

Carne suína: Brasil exporta quase 107 mil toneladas em março

Embarques, de acordo com a ABPA, cresceram 16,9% na comparação com 2022
feedfood
Foto: reprodução

Superando em 16,9% as vendas registradas no mesmo período do ano passado, as exportações brasileiras de carne suína (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) alcançaram 106,9 mil toneladas em março.

Os dados são da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Em receita, as vendas de março totalizaram US$ 248,9 milhões, número 30,8% superior ao obtido em março de 2022, quando a receita alcançou US$ 190,3 milhões.

No trimestre, o volume exportado de carne suína chegou a 274,8 mil toneladas, volume 15,7% maior que as 237,5 mil toneladas embarcadas entre janeiro e março de 2022. No mesmo período, a receita das exportações totalizou US$ 646,3 milhões, saldo 29,6% maior que o total obtido nos três primeiros meses de 2022, com US$ 498,5 milhões.

O presidente da ABPA, Ricardo Santin, pontua que os custos de produção em alta no mundo, assim como os impactos de questões sanitárias em vários países produtores de carne suína, têm sustentado a tendência de aumento pela demanda do nosso produto, que é refletida pelas elevações nas vendas em oito dos dez maiores importadores da carne suína brasileira. 

“Diferentemente do que vimos no 1° trimestre de 2022, os três primeiros meses deste ano seguem em ritmo equivalente ao visto no segundo semestre do ano passado, indicando um ano com tendência de alta comparativa nas exportações”, analisa o presidente.

Principal destino dos embarques, a China importou 109,6 mil toneladas entre janeiro e março, número 25,6% superior ao registrado em 2022, com 87,2 mil toneladas.  No mesmo período, também se destacaram as vendas para Chile, com 21,3 mil toneladas (+96,8%), Filipinas, com 17,8 mil toneladas (+8), Singapura, com 15,9 mil toneladas (+25,8%), e Japão, com 7,2 mil toneladas (+36,9%). 

O diretor de Mercados da ABPA, Luís Rua, destaca que, além dos tradicionais destinos de exportação, houve neste mês a realização dos primeiros embarques de carne suína do Brasil para o México, consolidando o fluxo de embarques para este mercado que foi recentemente aberto para os produtos brasileiros. 

“Ao mesmo tempo, o recrudescimento da Peste Suína Africana na China e nas Filipinas devem manter as exportações brasileiras em patamares acima das 100 mil toneladas mensais”, avalia Rua.

Fonte: ABPA, adaptado pela equipe Feed&Food.

LEIA TAMBÉM:

Ecil une empresas internacionais a produtores brasileiros

Detecção precoce é foco do MAPA nas ações contra Influenza

SBSA: “Legado é o que deixamos em tempos conturbados”

Patrocinado
Patrocinado