Patrocinado
MERCADO

Conteúdo

Brasil é destaque em produção agrícola

Políticas públicas e melhoramento genético colocam o País em evidência
feedfood
FOTO: MAPA

Com o passar do tempo e as evoluções das técnicas, a agricultura se tornou um dos meios mais importantes, tanto economicamente quanto socialmente. Como forma de celebrar este setor tão essencial para o Brasil, comemorou-se na última terça-feira (17) o Dia da Agricultura.

De acordo com a Coordenação de Recursos Genéticos para a Alimentação e Agricultura da Secretaria de Inovação, Desenvolvimento Sustentável, Irrigação e Cooperativismo (SDI), do Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA), e com base nos dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), 75% dos alimentos do mundo são gerados a partir de apenas 12 plantas, entre elas está o arroz, o trigo, a cana-de-açúcar, o milho, a soja, a batata, a palma, a mandioca, o sorgo, o milhete, o amendoim e a batata-doce, e cinco espécies animais não identificados.

Para o coordenador de Recursos Genéticos para a Alimentação e Agricultura, Luis Gustavo Pacheco, os recursos genéticos que o MAPA trabalha para promover o cultivo de variedades de espécies agrícolas por meio do aumento da diversidade alimentar, ajudam porque a dependência de um número limitado de culturas ou espécies básicas podem tornar o sistema alimentar vulnerável a pragas, doenças e alterações climáticas, ocasionando perdas nas cadeias produtivas.

Além disso, através das novas tecnologias, como a biotecnologia, é possível melhorar as características de interesse das espécies cultivadas, tornando-as mais resilientes e produtivas, de maneira mais rápida e menos dispendiosa, contribuindo para a segurança alimentar.

O MAPA também opera na criação de políticas públicas para a agricultura, por meio da Secretaria de Políticas Agrícolas (SPA), dentre elas a Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM), que garante um nível de preço ao produtor na comercialização da produção, resultando um seguro de preço ao produtor na venda do produto, sem custo para os produtores.

Segundo o secretário de Política Agrícola, Wilson Vaz, a PGPM garante ao agricultor uma receita que mesmo que exista baixa nos preços do mercado, o produtor não tenha comprometimento na continuidade da atividade. “Com a garantia de um preço mínimo para a produção, os agricultores, sejam grandes, médios ou pequenos, podem fazer a sua programação de plantio, cotejando com os seus custos de produção, sabendo que a referência mínima está garantida por esta política”, afirma Vaz.

Fonte: MAPA, adaptado pela equipe FeedFood.

LEIA TAMBÉM:

PIB do agro tem avanço acumulado de 0,5% em 2023

Ações brasileiras são destaque nas Conferências da FAO

Uso de tanino reduz emissão de GEE em 17% na pecuária