in

Brasil e Alemanha juntos em projeto Amazônia Legal

Ação visa alinhar a produção animal e vegetal com o uso sustentável dos recursos naturais

Ação visa alinhar a produção animal e vegetal com o uso sustentável dos recursos naturais

Para alinhar a produção animal e vegetal com o uso sustentável dos recursos naturais, junto da conservação da floresta amazônica, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) lança o projeto Inovação nas Cadeias Produtivas da Agropecuária para a Conservação Florestal na Amazônia Legal.  A iniciativa foi anunciada pela ministra Tereza Cristina, na última segunda-feira (9).

Com objetivo de levar inovação para as cadeias produtivas da carne e soja, para que ocorra um aumento na produtividade e valor dos produtos de forma que não prejudique o ambiente, o projeto será implantado de 2020 a 2024 em cinco estados: Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia e Tocantins.

De acordo com o secretário-adjunto de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do MAPA, Pedro Alves Corrêa Neto, a intenção é criar ferramentas para acompanhar a situação socioambiental dessas cadeias produtivas, gerar agregação de valor aos produtos dos setores com bons índices de sustentabilidade e fornecer assistência técnica e gerencial para os produtores com baixos índices de sustentabilidade.

Um fator de extrema importância para a iniciativa, é que ela conta com a cooperação entre Brasil e Alemanha, já que o governo alemão, por meio do banco de desenvolvimento do País (KfW), irá doar 25,5 milhões de euros, onde o Ministério aplicará 12 milhões da quantia no projeto.

Em estrutura de organização, o Amazônia Legal será gerenciado pelo MAPA, o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) atuará como agente financeiro e o KfW será a agência financiadora.

De acordo com informações disponibilizadas pelo ministério, as ações serão executadas por meio de organizações públicas em cooperação com produtores rurais, setor privado e sociedade civil. Segundo o secretário-adjunto, alguns dos benefícios do projeto são: alinhamento da produção com acordos internacionais, rastreabilidade das cadeias produtivas, abertura a novos mercados (internos e externos) e desenvolvimento de iniciativas inovadoras.

No lançamento, Tereza Cristina levantou que o projeto permitirá o acesso dos produtores à tecnologia e melhores práticas de produção, principalmente entre os pecuaristas, incluindo-os no sistema produtivo sustentável. “Não queremos excluir ninguém. Vamos trazer pessoas para que produzam melhor, gerem renda, qualidade de vida e estejam integrados na pecuária sustentável, na madeira sustentável”, afirmou.

Para o embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witshel, a iniciativa mostra o compromisso brasileiro em produzir de forma sustentável e em cumprir o Código Florestal do País.

Também participaram da cerimônia o diretor do KfW, Martin Schröder, secretários do MAPA e representantes de instituições ligadas ao Ministério.

Fonte: MAPA, adaptado pela equipe feed&food.

Safeeds anuncia nova contratação

SC bate recorde de exportação de carne suína