in

Bio-Rad destaca desafios na pesquisa de Bacillus cereus

Empresa conta com o RAPID’B.cereus, um ágar baseado em reação cromogênica

Imagem publicacao RAPIDB.cereus
REPRODUÇÃO

A cadeia de produção, distribuição e comercialização de alimentos envolve vários fatores complexos de serem gerenciados simultaneamente. Um dos mais sensíveis, tanto para a Indústria quanto para os consumidores, é a oferta de um alimento seguro, através da eliminação de perigos e redução de riscos à saúde de quem ingeri-lo.

No âmbito das análises microbiológicas para controle de qualidade dos alimentos, muito se discute sobre metodologias que permitam análises sensíveis, fidedignas e com obtenção de resultados em um prazo que atenda à demanda das Indústrias, o qual precisam liberar seus lotes aprovados, para a rede de distribuição, no menor tempo possível.

Um dos ensaios indicados pela Instrução Normativa nº 60 da ANVISA é a pesquisa presuntiva do grupo B.cereus em diferentes tipos de matrizes, como leite e derivados, alimentos infantis, fórmulas para nutrição enteral, cereais, farinhas, massas alimentícias, e outros alimentos preparados prontos para o consumo.

Para quem trabalha com análise desse patógeno, em algum momento deve ter enfrentado dificuldades para distinguir colônias típicas e atípicas de B. cereus, em diferentes meios de cultura disponíveis no mercado, por isso a Bio-Rad oferece uma solução.

Ciente dos desafios inerentes as análises do patógeno, a empresa lançou o RAPID’B.cereus: um ágar baseado em reação cromogênica onde as colônias de Bacillus cereus se desenvolvem com coloração vermelha característica, rodeadas por um halo opaco.

A seletividade do ágar previne o crescimento de flora interferente e permite a análise de uma ampla gama de alimentos. A sensibilidade do meio foi especialmente otimizada para permitir o crescimento de todas as cepas patogênicas de Bacillus cereus, inclusive as mais complexas, como B.cytotoxicus, evitando o espalhamento de colônias rizoides, o que torna o processo de enumeração mais rápido e eficiente.

Os resultados são obtidos em 24 ± 3 h, sem necessidade de confirmação ao seguir o protocolo alternativo validado. Outra vantagem que contribui para o fluxo da rotina de análises é o armazenamento da placa após a incubação por até 72h em temperatura de 2 a 8ºC antes da leitura, concedendo ao laboratório a autonomia para organizar suas demandas prioritárias sem comprometer a qualidade da interpretação dos testes.

O método RAPID’B.cereus foi rigorosamente testado e validado pela AFNOR, agência reconhecida internacionalmente, em comparação com o método de referência NF EN ISO 7932 (2005) – certificado BRD 07/26-22/03.

Para saber mais sobre como a Bio-Rad pode ajudar nessa e em outras análises do seu laboratório de alimentos, clique aqui e consulte o site oficial da empresa, assim como suas redes sociais  (Instagram | Linkedin).

Fonte: A.I, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Tereza Cristina vai ao Canadá em busca de novas oportunidades

Preço do milho sobe quase 18% após conflito europeu

Debate sobre legislação encerra XIX Congresso de ovos

Planeta Agro Imagem4

Cidade de São Paulo contará com espaço dedicado ao agronegócio

WhatsApp Image 2022 03 31 at 10.07.14

Boituva (SP) realiza 1º Encontro de Avicultura da região