in ,

Após confirmação de PSA, governo dominicano analisa formas de contenção

Informação foi compartilhada durante Simpósio Brasil Sul de Suinocultura (SBSS)

suinos

Wellington Torres, de casa

[email protected]

Altamente contagiosa, a Peste Suína Africana (PSA) deve estar sempre no radar dos produtores. Por isso, entender a situação mundial da doença, responsável por dizimar planteis, é necessário. Mudanças e novos casos foram abordados durante o Simpósio Brasil Sul de Suinocultura (SBSS).

A palestra, que ocorreu nesta terça-feira (11), ministrada pelo engenheiro agrônomo e mestre em nutrição animal, Leandro Hackenhaar, teve como tema “Peste Suína Africana: o que mudou até o momento. Uma atualização da situação mundial”. Profissional é Líder Técnico Global na Cargill Animal Nutrition.  

Entre os temas abordados ao longo da apresentação, a atual situação da República Dominicana ganhou destaque. Região confirmou a ocorrência de dois focos da doença, o que despertou alerta de diversos países, como o Brasil.

“Estamos com um esforço muito grande para tentar ajudar os produtores com informação, para que a doença não afete as granjas. Mas infelizmente as notícias que temos não são nada boas”, destacou Leandro.

De acordo com ele, a situação local é muito triste e o que se escuta é que a doença já tomou conta de toda a ilha. “Oficialmente não chegou ao Haiti, mas é praticamente impossível que não tenha entrado País. Existem planos do governo de exterminar todos os suínos da ilha, ao menos da parte dominicana, mantendo assim, uma ou duas granjas de genética”.

A fim de sessar o contágio, em uma manobra perigosa e errônea, como também pontuou o profissional, produtores da região estão abatendo os animais e guardando as carnes em freezers, o que inviabiliza o combate à doença. “Sabemos que a forma mais rápida de contágio do vírus é pela carne, que pode se manter contaminada por anos. Então eles podem exterminar todos os suínos do país com essa atitude, se conseguirem, mas manterão o vírus na geladeira”, alertou.

Atenção redobrada

Por ser um país com robusto trânsito turístico, Leandro indicou maior atenção às fronteias e modos produtivos. No Brasil, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), informou que está acompanhando e monitorando a ocorrência.

“O Departamento de Saúde Animal da Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura está em estreito contato com as autoridades de saúde animal da República Dominicana, com os organismos regionais e com a representação da OIE nas Américas, visando aprofundar o conhecimento sobre a situação. Além disso, está oferecendo apoio para a eliminação dos focos e contenção da disseminação do vírus, permitindo recuperação da condição do continente americano de livre da PSA”, destacou em nota.

Vale ressaltar que, na sexta-feira (06), o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) e a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) confirmaram a presença do vírus da PSA em amostras de suínos coletadas no país caribenho. Segundo o ministério, trata-se do primeiro registro da doença nas Américas desde a década de 1980.

Cobertura completa do evento estará disponível na edição de agosto da revista feed&food.

CONFIRA:

Tecnologia e gestão são caminhos para estar entre os melhores da suinocultura

Feed&Food te dá 10% de desconto para participar do 13º SBSS

Mais de 1,5 mil pessoas se inscreveram para o SBSS

CARGILL

Safeeds apresenta soluções para produção no SBSS