Patrocinado
MERCADO

Conteúdo

Aplicativo ‘Monita Oeste’ auxilia lavouras

feedfood
lavouras

De maneira a contribuir com as lavouras brasileiras, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) desenvolveram o ‘Monitora Oeste’, um sistema digital de grande auxílio aos produtores rurais. O programa envia ao celular alertas sobre doenças e condições climáticas.

Segundo a Embrapa, com a tecnologia, o produtor rural conseguirá ter controle das lavouras e poderá observar pontos a serem melhorados diariamente, principalmente, com os cuidados sobre enfermidades que se manifestam em plantações de soja.  Desenvolvida ao longo de dois anos, a tecnologia está disponível para navegação gratuita em smartphones (Android e IOS) e em plataforma web. Ao cadastrar-se, o usuário passa a receber informações sobre os focos e as condições climáticas.

Para o pesquisador da Embrapa, Julio Bogiani, líder da equipe que desenvolveu o produto, o ‘Monitora Oeste‘ ajuda na eficiência no controle de doenças, com menos custos e impacto ambiental pelo menor número de aplicações de defensivos agrícolas. “O sistema dá aos produtores as melhores condições para a tomada de decisão de abrir mão ou de utilizar os defensivos agrícolas na época certa e na dose correta. Com o direcionamento dos seus gastos, eles alcançarão uma economia muito boa”, afirma o cientista.

Aplicativo e o WebGIS

O aplicativo também entrega algumas funções importantes, como, ocorrências e alertas; gráfico de ocorrências; mapa de ocorrências; armadilhas; mapa de armadilhas; favorabilidade e agrometeorologia. Além disso, a tecnologia possibilita a aplicação de filtros, como espécie (doença), municípios, núcleos regionais e safra. A versão para Web traz ainda mais recursos, como o tipo de área em que a ocorrência foi registrada, a sobreposição de camadas e a geração e exportação de mapas em alta resolução.

Como mencionado anteriormente, a plataforma web entrega mais recursos e com isso, o produtor poderá, ainda, identificar se os dados provêm da coleta de plantas voluntárias (que nascem sem o manejo humano, seja no meio da estrada ou na lavoura). Também há a possibilidade de baixar as imagens em alta resolução e realizar a sobreposição de camadas.

Além disso, o aplicativo está organizado em três níveis de alertas: ocorrências de doenças, condições climáticas favoráveis para as ocorrências e condições climáticas favoráveis para a dispersão de esporos no ar.

Os outros alertas

De acordo com a Embrapa, “outro nível de alerta enviado pela “Monitora Oeste” aponta se as condições climáticas estão favoráveis para o surgimento e para o desenvolvimento das doenças. O filtro “favorabilidade” mostra sobre o mapa se existe alto ou baixo risco de proliferação dos agentes causadores da mancha de ramulária e da ferrugem asiática pelas plantações de acordo com as condições do clima. Para esse nível de alerta, o aplicativo utiliza o banco de dados das estações meteorológicas do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), com atualização diária e em tempo real”.

O fitopatologista da Empresa, Fabiano Perina, revela que “o sistema também reúne dados da presença de esporos na região a partir de 44 armadilhas georreferenciadas, distribuídas pelos núcleos regionais da Bahia. Quanto mais pontos de coletas, maior a precisão das informações”.

Os dados dessas armadilhas são levantadas por uma equipe que recolhe as lâminas das arapucas e as levam ao laboratório para análise. Perina classifica como proativo esse monitoramento e destaca a relevância dessa informação para o produtor. “Essas partículas caem na lavoura e, se houver condições favoráveis, elas podem germinar e infectar a planta”, explica.

Dentro do sistema, os mapas das armadilhas são sobrepostos ao mapa da favorabilidade climática, facilitando ao usuário compreender o risco de disseminação.

Índices agrometeorológicos

Vale ressaltar que o sistema além dos dados de alerta, também traz vários índices agrometeorológicos da região. O produtor poderá fazer cruzamentos de camadas para obter informações estratégicas de seu talhão. Essas buscas podem ser salvas na ferramenta, gerar um banco de dados capaz de revelar a dinâmica temporal da produtividade do terreno ao longo das safras.

Fonte: Embrapa, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Suinocultura deve encerrar ano com bons números

Avicultura se mostra robusta em produção, exportação e consumo

FAESP comemora fim de embargo chinês à carne bovina