in

Agroceres PIC debate sobrevivência neonatal

Temas serão discutidos durante o Swine Day, que ocorrerá no dia 08 (quarta-feira)

AGROCERES
REPRODUÇÃO

À medida que as fêmeas suínas foram se tornando hiperprolíficas, o melhoramento genético de suínos enfrentou um dilema: a relação desfavorável entre o número de leitões nascidos e seu peso ao nascimento. O impasse era claro, ao mesmo tempo que o desenvolvimento de fêmeas com altas taxas de ovulação aumentava o tamanho da leitegada, reduzia o peso individual dos neonatos, impactando os índices de mortalidade dos leitões na maternidade.

O surgimento de novas tecnologias e ferramentas genéticas tratou de reverter essa interconexão negativa. A evolução da bioinformática, o advento da genômica e a inclusão do peso ao nascimento entre as características de seleção genética de fêmeas suínas, aumentou qualidade e viabilidade dos leitões, que hoje, não apenas nascem em maior número, como também mais fortes e pesados. Além disso, têm sustentado também avanços nos índices de sobrevivência dos leitões.

Esse é o mote central da palestra “Estratégias de melhoramento genético que visam aumentar a sobrevivência neonatal e pré-desmame”, que será ministrada por Natalia Irano, responsável pelos Serviços Genéticos da Agroceres PIC no dia 08 de dezembro, dentro da programação do Swine Day UFRGS. “O foco das empresas de genética é selecionar fêmeas que sejam capazes não apenas de produzir um alto número de nascidos, mas também leitões com alto vigor e viabilidade, do nascimento à terminação”, explica Irano.

Segundo ela, os ganhos proporcionados pelo melhoramento genético são expressivos. “De 2013 para cá, nosso programa de melhoramento genético registrou um ganho de mais de 200 gramas por leitão ao nascimento, aumentando o vigor e a viabilidade dos animais recém-nascidos”.

Mas os progressos não param por aí. De acordo com Natalia Irano, no último ano, o programa genético da PIC registrou um ganho genético para característica de mortalidade até o desmame de 1,7%, ou seja, aumentou na sobrevivência dos neonatos. Já o aumento de leitões desmamados e de quilos de desmamados por fêmea ao ano foi, respectivamente, de 1,4% e 10 quilos.

Evento:

Tema será apresentado por Natalia Irano dos Serviços Genéticos da Agroceres PIC, no Painel “Sobrevivência de Leitões Pré-Desmame” no dia 08, atividade que precede o Swine Day. De caráter técnico, encontro tem o objetivo de estabelecer uma ponte entre a universidade e a indústria.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

IP-APTA inova na produção de ração sustentável

Brasil e Paraguai debatem sobre criação de tilápia em Itaipu

Preço do leite pago ao produtor sofre novo recuo

Imagem1

Plasson realiza XX Encontro de Negócios

Avanço preço do milho

Indicador aponta crescimento contínuo no preço do milho