in

Agro.br visa capacitar produtores para atender mercado chinês

Evento promovido pela CNA em parceria com a Apex-Brasil teve apoio da InvestSP

O projeto Agro.BR, que visa capacitar empresários rurais brasileiros para atender às demandas do mercado chinês, contou com mais um seminário virtual nesta segunda-feira (22). O encontro teve como tema as “Oportunidades e parcerias no mercado da China” e foi promovido pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e apoio da Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade (InvestSP).

A analista de Investimentos e consultora do escritório da CNA em Xangai, Camila Chen, falou durante o encontro sobre os aspectos gerais sobre a China e mostrou simulações de negociação com um comprador chinês. “A maioria dos brasileiros tem pouco conhecimento sobre o país asiático. O nosso objetivo é ajudar os produtores rurais na construção e desenvolvimento das relações comerciais. Os chineses são bons negociadores, então o empresário precisa ser firme e estar muito bem equipado e preparado para essa conversa”.

A analista também deu algumas dicas para os produtores que têm interesse em exportar seus produtos para a China. Para ela, ao negociar o preço do produto em dólar, o empresário deve apresentar todas as condições claras.

“Ser paciente e resiliente no processo de negociação, ter cuidado em assinar o primeiro contrato de longo prazo e não fazer compromissos que não possam ser cumpridos são alguns pontos que merecem a atenção do exportador”.

A programação do encontro virtual também contou com uma apresentação do diretor do escritório da Investe SP em Xangai, José Mário Antunes, sobre o acesso ao mercado chinês e relações comerciais com o Brasil. De acordo com o Antunes, a intensificação da parceria é estratégica tanto para a China, quanto para o Brasil.

“No caso do Brasil é uma oportunidade de maior entrada de dólar e geração de empregos, pois muitas empresas contratam e investem em mão de obra para atender o mercado chinês”.

Em sua exposição, o diretor citou alguns desafios do Brasil na relação com a China, como a diversificação da pauta exportadora de produtos agrícolas, que hoje está concentrada na soja. Outro desafio é o empresário conhecer o mercado chinês e aproveitar as oportunidades para expandir os negócios.

“A comunicação também é um grande desafio. Não com relação apenas ao idioma, mas com a forma de se comunicar. O chinês é muito diferente do brasileiro, ele é mais complexo. Na China é preciso ter visão de longo prazo e investir”, afirmou José Mário.

Já a coordenadora de Comunicação do escritório da Investe SP em Xangai, Manuela Ma, falou sobre o desenvolvimento do e-commerce na China e como essa forma de comércio pode ser uma oportunidade para os produtos brasileiros serem testados no mercado asiático.

Fonte: CNA, adaptado pela equipe feed&food.

ESPM promove evento sobre sustentabilidade no agro

Biogénesis Bagó realiza sua primeira convenção virtual