in

Abmra entra com ação por direito de resposta ao GNT

Associação pede espaço para esclarecer falas ditas em programa do canal

Associação pede espaço para esclarecer falas ditas em programa do canal

Após ter ido ao ar no dia 2 de setembro, o programa Papo de Segunda do canal a cabo GNT, apresentado por Fabio Porchat, Emicida, Chico Bosco e João Vicente, do qual debatiam com a companhia de Bela Gil sobre as atividades realizadas pelo agronegócio,  a Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (Abmra) entrou com uma ação para obter espaço e direito de resposta em defesa do setor.

De acordo com o texto publicado pela Abmra em seu portal online, as afirmações feitas pelos apresentadores não possuem conhecimento técnico, acompanhadas de dados irreais e conceitos inexistentes, inventados por eles, o que pode levar o público a compreensões equivocadas. No material, a associação ainda levanta que também foi utilizado de expressões e termos que denigrem a imagem do produtor rural e de todo um setor, que é extremamente importante para a economia do País.

 A Abmra que há 40 anos tem como propósito o fomento das boas práticas do marketing e da comunicação no Agro, tomou a iniciativa de pleitear por todos os meios legais o direito de ter espaço para esclarecer e corrigir as informações apresentadas no programa.

 “Essa medida foi adotada em respeito ao produtor rural, aos pesquisadores, às empresas em toda a extensão do setor e a toda a população, que precisa receber as informações corretas para saber que o campo trabalha de sol a sol, de forma séria e honesta para colocar alimentos na mesa de todos, inclusive na mesa desses apresentadores”, destacou o vice-presidente executivo da Abmra, Ricardo Nicodemos.

 Ainda conforme o texto publicado, o vídeo do programa foi assistido por diversos profissionais e pesquisadores, que avaliaram as informações e dados, e fizeram uma análise do conteúdo. Um dos pesquisadores que contribuiu neste trabalho foi o Professor PhD da Embrapa, Eduardo Delgado Assad, cuja avaliação foi utilizada como base na solicitação do direito de resposta. 

 A associação contratou o escritório jurídico Coelho & Morello Advogados Associados, que tem unidade especializada em comunicação e audiovisual, para conduzir as negociações com a GNT e todo o processo por vias jurídicas, caso seja necessário.

 “O respeito à liberdade de expressão e à liberdade de imprensa são fundamentais à democracia, porém devem ser fundamentados em fatos, tecnicamente embasados em estudos e experiências utilizadas no presente, passado e futuro. As informações divulgadas no programa citado não condizem com a realidade científica dos estudos realizados e tampouco do Agro”, destaca o advogado e sócio da banca jurídica contratada e especializado no tema, Dr. João Paulo Morello.

Fonte: Abmra, adaptado pela equipe feed&food.

Workshop debate industria de nutrição animal

Programa de Estágio Elanco inscrições abertas