Patrocinado
SUINOCULTURA

Conteúdo

ABCS promove curso voltado à zootecnia

ABCS promove curso voltado à zootecnia Atividade será voltada para profissionais que atuam com inspeção em granjas
feedfood
Atividade será voltada para profissionais que atuam com inspeção em granjas

A Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS) oferece, entre os dias 28 e 29 de maio, o curso para inspetores zootécnicos. O curso será realizado em Concórdia, Santa Catarina, e será voltado aos profissionais que exercem a atividade de inspeção zootécnica nas granjas, como médicos veterinários, engenheiros agrônomos, zootécnicos e técnicos agrícolas.

O objetivo da ação é capacitar profissionais que atuam nas granjas que emitem registro genealógico. Os participantes terão acesso ao detalhadamente do regulamento de registro genealógico, as exigências relacionadas às auditorias e inspeções zootécnicas, os procedimentos de biosseguridade nas granjas de suínos, as características e critérios de desclassificação das raças suínas registradas na ABCS e os programas de melhoramento genético.

O curso busca garantir a harmonização e aprimoramento dos critérios e padrões zootécnicos das raças suínas, já que a certificação dos inspetores é parte das exigências legais para o exercício de suas funções. De acordo com as regras do Regulamento do Serviço de Registro Genealógico de Suínos, estabelecidas pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA), todas as granjas que emitem registros genealógicos devem ter um inspetor zootécnico credenciado pela ABCS com sua carteira vigente.

A superintendente de registro genealógico, Fernando Gimenez, explica que entre os benefícios do serviço se destacam o avanço genético dos suínos, a rastreabilidade dos animais e a facilidade e segurança no transporte de reprodutores ou matrizes.

porco_feedfood_reproducao_7

Vagas para o curso serão priorizadas para os inspetores que necessitam revalidar suas credenciais (Foto: reprodução)

“O uso do registro junto com nota fiscal isenta esses animais de impostos de fiscalização de ICMS, imposto alto, se comparado com o custo do registro genealógico. É uma vantagem para quem transporta reprodutores e para quem tem granjas que fazem multiplicação de genética. Com o registro, aquele que compra os animais saberá a origem deles e quais cruzamentos foram realizados. É importante para quem recebe em suas granjas saber qual é a composição genética dos animais que vão para o abate em função das características desejadas, como, por exemplo, uma carne mais magra ou o maior aproveitamento de carcaça”, pontua Fimenez.

Já para a diretora técnica da ABCS, Charli Ludtke, o curso oferecerá um melhor preparo para os profissionais seguirem procedimentos de inspeção tanto nas granjas, quanto nas importações de reprodutores suínos que são comercializados no Brasil.

“A capacitação é uma oportunidade de aprimoramento contínuo dos profissionais que atuam na área e de melhoramento genético dos suínos e da bioseguridade nas granjas. Assim, as inspeções serão realizadas atendendo às normas vigentes e às exigências das auditorias, o que é fundamental para alavancar a eficiência da produção suinícola”, aponta a diretora.

A iniciativa conta com o apoio da Embrapa Suínos e Aves, Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal (Fundesa), Sindicato das Indústrias de Produtos Suínos (Sips) e MigPlus.

As inscrições para a capacitação já estão abertas e vão até 22 de maio. Os interessados podem entrar em contato com o escritório da ABCS em Estrela (RS) pelo telefone (51) 3720-2411 ou pelo email paula@abcs.com.br.

Fonte: ABCS, adaptado pela equipe Feed&Food.

Patrocinado
Patrocinado