in

A importância da qualidade da carne de frango

Frank Siewerdt é Diretor Sênior de Genética da Cobb-Vantress, Inc.

Frank Siewerdt é Diretor Sênior de Genética da Cobb-Vantress, Inc.

O objetivo final de um sistema integrado de produção de frangos de corte é alcançar o máximo de rendimento aproveitável dentro das limitações econômicas impostas pela cadeia de produção. As decisões sobre as linhagens a serem usadas nas operações têm papel fundamental no resultado financeiro das empresas, podendo fazer a diferença entre lucros saudáveis ou uma operação em dificuldades. Clientes da Cobb alcançarão sucesso quando receberem produtos que lhes permitam satisfazer as exigências de seus próprios clientes e do consumidor final.

Os geneticistas da Cobb entendem isso muito bem e têm trabalhado para garantir que nossas aves produzam o máximo possível de carne de alta qualidade. Estamos cientes de que uma abordagem multidisciplinar é necessária para garantir o sucesso da melhoria da qualidade da carne, enquanto que focar em apenas um ângulo (genética, nutrição, manejo ou processamento) provavelmente não trará os resultados esperados. Hoje, os produtos da Cobb são reconhecidos por ter a mais alta qualidade de carne do mercado e estamos orgulhosos dessa conquista. Isso não aconteceu por acaso. Foi o resultado de um plano de longo prazo cuidadosamente planejado e executado que visou proteger a qualidade de nossa carne de frango.

Nossos geneticistas trabalham junto aos selecionadores da Cobb, treinando-os e orientado-os para identificar a campo aquelas aves que tenham problemas com peito amadeirado, o principal problema de qualidade de carne nos dias de hoje. Todos os 2,5 milhões de aves de pedigree [1] nascidas na Cobb a cada ano são examinadas individualmente, garantindo a retirada de cadeia de produção daquelas que não atendem aos nossos rigorosos padrões de bem-estar e de qualidade de textura da carne. A Cobb não pára por aqui: usando uma combinação de equipamentos desenvolvidos por nossa equipe de engenharia [2] e tecnologia de captura e processamento imagens de última geração, medimos objetivamente a firmeza da carne de peito em cada ave considerada como possível reprodutor para as futuras gerações de produtos Cobb.

Semanalmente, uma equipe da Cobb abate várias aves de pedigree para avaliar a qualidade da carne. Uma pequena proporção de aves é identificada como tendo problemas específicos de qualidade da carne, como o peito amadeirado. Suas informações são gravadas e usadas, em um estágio posterior, por nossos geneticistas para identificar aquelas famílias de aves que possam estar mais propensas a expressar essas questões. Empregamos métodos sofisticados de estatística e genética molecular para descobrir quais aves carregam os genes que podem aumentar a chance de problemas de qualidade de carne em seus descendentes, mesmo que pareçam perfeitamente normais e tenham passado por sua triagem individual. Essas aves são sistematicamente removidas do nosso sistema de produção para garantir que nossos clientes recebam apenas produtos de qualidade premium para suas operações.

A remoção de aves com problemas de textura da carne, ou que pertencem a famílias que frequentemente expressam esses problemas, ajudou Cobb a conter a incidência de peito amadeirado em nossos frangos, mantendo a incidência baixa em algumas linhagens ou reduzindo os níveis anteriores de incidência em outras. Em uma de nossas linhagens pesadas, um esforço de 18 meses resultou em uma queda de mais de 28% da incidência de peito amadeirado. [3] Quando resultados assaz encorajadores são alcançados, nós não baixamos a guarda. Pelo contrário, a Cobb continua a capturar dados sobre a qualidade da carne e a cuidadosamente monitorá-los, evitando a deterioração dos nossos produtos.

Com respeito à genética molecular, pode-se afirmamos com convicção que não existe um único gene no genoma da ave que seja a causa direta do peito amadeirado. Muitos grupos de pesquisa de renome mundial encontraram marcadores genéticos que parecem ter alguma influência na qualidade da carne. Estes resultados, cientificamente válidos, ainda não foram traduzidos em medidas práticas que as empresas de genética possam tomar para proteger a qualidade da carne do frango. A Cobb continua investindo em tecnologias de genética molecular, tanto em pesquisas internas quanto por meio de parcerias com universidades e institutos de pesquisa em todo o mundo. Essa busca pelos genes exatos que terão grande impacto na qualidade da carne é uma das nossas prioridades de financiamento de projetos.

Em resumo, a qualidade da carne tem sido e continuará a ser parte integral do programa de genética da Cobb. Nós construímos um sistema que pode identificar eficientemente aquelas aves que precisam ser excluídas de nossas populações reprodutoras e continuaremos a trabalhar com nossos clientes para atender a sua necessidade de frangos eficientes que gerem uma alta porcentagem de carne vendável.

Fonte: Frank Siewerdt, adaptado pela equipe feed&food.

Facta promove cursos de atualização

SC amplia em 26,4% exportação de suínos