in

Emirados Árabes se destacam na compra de ovos brasileiros

No primeiro bimestre, nação representou 27,86% das importações do produto nacional

ovos

Os dados divulgados pela Secex mostram que no primeiro bimestre deste ano foram exportadas 5 mil toneladas, gerando uma receita de US$ 11,16 milhões. Diante deste número crescente, o Oriente Médio  se destaca. No período, representaram 27,86% das vendas para o exterior, totalizando em US$ 3,11 milhões. Os Emirados Árabes importaram 1.200 mil toneladas do produto, gerando US$ 2,70 milhões de receita para o Brasil, seguido por Omã US$ 309 mil e Arábia Saudita US$ 60,4 mil.

“Os Emirados Árabes deram um salto significativo este ano em importação dos ovos do Brasil. Praticamente, triplicaram sua participação nos primeiros dois meses deste ano. Durante todo o ano 2020, foi responsável por 8% das importações de ovos do Oriente Médio. Este ano, foram 24%. O Oriente Médio é um mercado ávido por mercadorias brasileiras de boa qualidade. E o ovo, como o frango, que tiver a certificação halal, que significa lícito para o consumo árabe muçulmano, abre mais oportunidades de negócios nestes países, porque atesta a segurança do alimento em toda a cadeia produtiva”, conta o gerente de Relações Internacionais da Cdial Halal, Omar Chahine.

Mercado em destaque. A  Katayama Alimentos produz em torno de 1 bilhão de ovos por ano para abastecer o mercado interno, como: São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e Mato Grosso e o internacional, principalmente, os países árabes. “Nossos principais importadores pertencem ao Oriente Médio – Emirados Árabes Unidos, além de Bangladesh. Mas para exportar para estes países, onde a maioria são muçulmanos, adquirimos a Certificação Halal para atender às normas da jurisprudência islâmica. Temos a honra de sermos uma das poucas indústrias no setor a obter esta certificação e estarmos aptos a atender a uma população que cresce a cada ano. Nossa expectativa é exportar 10% de nossa produção, sendo 20% para os Emirados Árabes”, ressalta o diretor Comercial da Katayama Alimentos, Gilson Katayama.

Fonte: A.I., adaptado pela equipe feed&food.

Cargill inaugura centro de distribuição no Tocantins

Especialista aborda estratégias no manejo de pastagens