in

Balanço aponta alta nas exportações de carne suína

Volume exportado em fevereiro foi 20,3% superior ao ano passado

GERAL035 Porcos em fazenda em Lucas do Rio Verde, Mato Grosso, Brasil28/02/2008 Crédito: Paulo Whitaker/Reuters Usada em 27-02-20 Usada em 18-06-20

Tanto em volume quanto em faturamento, a carne suína brasileira apresentou novas altas, de acordo com o balanço divulgado pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), nesta terça-feira (09). Segundo a entidade,  as exportações (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) registraram em fevereiro alta de 20,3%, com o montante de 81,1 mil toneladas no mês, contra 67,4 mil toneladas registradas no mesmo período de 2020.

Faturamento. A receita das vendas de fevereiro totalizou US$ 185,7 milhões, número 19,9% maior em relação ao segundo mês de 2020, com US$ 154,9 milhões. No total do primeiro bimestre, as vendas de carne suína alcançaram 144,2 mil toneladas, volume 6,12% superior ao obtido no mesmo período do ano passado, com 135,9 mil toneladas. A receita dos dois primeiros meses de 2021 totalizou US$ 332,3 milhões, número 4,1% superior ao registrado no mesmo período do ano passado, com US$ 319,1 milhões.

“O cenário internacional segue altamente demandante pela carne suína do Brasil. Isto, no entanto, não tem afetado a oferta interna deste produto, que segue ajustada”, avalia Ricardo Santin, presidente da ABPA.

Principais importadores. A China continua sendo o principal destinado das exportações brasileiras. Em fevereiro, conforme divulgado pela ABPA, o país asiático importou 41,6 mil toneladas, volume 34% superior ao registrado no mesmo período de 2020.

Outros destaques do mês foram  o Chile, com 4,5 mil toneladas (+73,5%), Angola, com 3,4 mil toneladas (+7,4%), Singapura, com 3,3 mil toneladas (+43,8%) e Argentina, com 2 mil toneladas (+15%).

“Adicionalmente ao bom desempenho dos destinos asiáticos, tivemos neste mês uma considerável elevação das vendas para as nações da América do Sul, com saldo positivo em praticamente todos os destinos da região”, avalia Luís Rua, diretor de mercados da ABPA.

Vendas por Estado. Em relação às vendas por Estado, Santa Catarina segue como principal exportador, com 40,7 mil toneladas embarcadas em fevereiro (+16,3% em relação a fevereiro de 2020).  Em segundo lugar, o Rio Grande do Sul exportou 21,3 mil toneladas (+30%).  No terceiro lugar, o Paraná embarcou 11,3 mil toneladas (+22,4%).

Fonte: ABPA, adaptado pela equipe feed&food.

Embrapa lança manual de bem-estar para poedeiras

Gulfood pode gerar ao Brasil mais de US$ 6 milhões em negócios