in

“Melhor momento para pautas agro avançarem”, diz Sérgio Souza

Presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária elenca prioridades

Presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária elenca prioridades

Para o novo presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), o deputado Sérgio Souza (MDB-PR), este é o melhor momento para avançar com pautas “caras” ao agronegócio no congresso.

Segundo o deputado, a bancada tem três prioridades para este ano: regularização fundiária, licenciamento ambiental e nova lei de defensivos agrícolas.

Ele conta, também, que há uma convergência inédita entre a bancada, o parlamento e o presidente da república – vantagem inédita para a liderança da FPA: “Estamos passando pelo melhor momento da convergência da vontade e da possibilidade”, afirmou em seu discurso de posse do comando da bancada ruralista.

posse fpa

Souza assume o posto até então ocupado pelo deputado Alceu Moreira (MDB-RS). Na posse, estiveram a ministra da Agricultura, Tereza Cristina; e o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos (Foto: divulgação)

O deputado ainda destacou uma convergência com os novos presidentes da câmara e do senado; com o ministério, comandado por Tereza Cristina; e na articulação política dentro do Palácio do Planalto, incluindo o pensamento ideológico do presidente Jair Bolsonaro.

“É o melhor momento para avançarmos nas pautas caras ao setor produtivo”, diz e justifica: “Vendem uma imagem no estrangeiro e na sociedade brasileira de que nós não produzimos com sustentabilidade, alimentos de qualidade e com responsabilidade ambiental, quando fazemos isso melhor que qualquer país do mundo”.

Durante a cerimônia de posse da nova diretoria da FPA, Tereza Cristina disse que a bancada ruralista vai precisar contar com apoio maior do senado para que as pautas do agronegócio avancem no Congresso Nacional.

Ela também declarou que o desafio, com a continuidade da pandemia, será garantir equilíbrio de preços dos produtos agrícolas à população brasileira.

“Vai ser um ano bom por um lado, mas difícil por outro. Temos uma safra recorde a ser colhida, com problemas pontuais em alguns Estados, mas são problemas de preços, e temos que ficar atentos. A sociedade brasileira espera do congresso e do governo que as coisas tenham equilíbrio”, afirmou e também disse: “Temos que abastecer o mercado interno e os mercados externos”.

A ministra ainda direcionou um pedido especial ao Senado. “Vamos precisar muito do senado. Na Câmara, temos mais de 200 deputados, mas o senado é importantíssimo para que projetos tenham celeridade e possam ser votados”, finalizou.

Fonte: Valor Econômico, adaptado pela equipe feed&food.

Grupo debate plano de ação para prevenir Influenza Aviária

Estudo avalia impacto do agro na economia local