in

Tereza Cristina defende queda da tabela de frete

Ministra acredita que método prejudica caminhoneiros e o setor produtivo

Ministra acredita que método prejudica caminhoneiros e o setor produtivo

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Tereza Cristina, classificou o uso da tabela de frete como perverso. Na visão da dirigente, tanto os caminhoneiros quanto os setores produtivos estão sendo prejudicados. A ministra fez a declaração nesta segunda-feira (08), durante a 18ª Tecnoshow Comigo, em Rio Verde (GO).

“Eu vinha conversando com o presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Márcio Freitas, que me explicou que tudo que a Comigo recebe de soja ela agrega valor, não sai um grão daqui sem agregação de valor. Isso só pode ser feito com o cooperativismo. Eu acho que este sistema é exemplo para o Brasil todo. Eu tenho andado muito pelo país nesses três meses de governo e tenho pregado o cooperativismo como forma de se desenvolver o Brasil”, frisa.

Até o final de maio, a Universidade de São Paulo (USP) divulgará um estudo com uma proposta de tabela. “Mas o ideal é que a tabela caísse pois, afinal, vivemos em uma economia aberta. Precisamos sentar e conversar, para chegar a um entendimento entre as partes e não criar lei e tabelamento”, defende a ministra

O tema, segundo ela, também tem sido debatido com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, responsável por conduzir o assunto dentro do governo e junto ao Supremo Tribunal Federal (STF).

O papel do ministério também foi salientado pela ministra durante declaração. De acordo com ela, é importante lembra que a função do órgão é mostrar ao mundo que a certificação dos produtos brasileiros é séria, e que todo mundo pode acreditar no que o país produz para mais de 160 mercados no mundo.

Secretário de aquicultura questiona estudo

Volume exportado de carne suína cai 5,6%