11/08/2017 TROFÉU CURUCA

Coleta de algas e transformação de resíduos são cases de sustentabilidade

Olmix e São Salvador Alimentos são duas das finalistas de premiação

Natália Ponse, da redação

natalia@ciasullieditores.com.br

Troféu Curuca de Sustentabilidade: considerado o Oscar da Sustentabilidade do Agronegócio, esta premiação foi criada para dar destaque àquelas empresas que incorporaram o conceito da sustentabilidade no seu dia a dia. A tarefa “alimentar o mundo” é de todo o setor, mas esta missão carrega consigo o dever de concretizar resultados aliados à responsabilidade com o meio-ambiente.

Integrando-se à comunidade local de Itaberaí (GO), a São Salvador Alimentos é uma das vencedoras do Troféu Curuca e eleva sua produção com geração de receita e empregos, aliado às práticas sustentáveis. A companhia conta com uma Fábrica de Farinhas e Óleo, na qual os resíduos cárneos, após processamento, transformam-se em farinha e óleo de vísceras.

Os insumos produzidos são encaminhados à fábrica de rações e utilizados como matéria-prima para a formulação das rações que vão para os aviários. “Esse projeto, que é realizado com foco total na garantia de sanidade, gera melhores resultados para a empresa, aumenta a sua eficiência e ainda diminui os custos ao longo do processo industrial”, explica o gerente de Sustentabilidade e Meio Ambiente, Lucas Vilas Boas Lemes Carvalho.

Além disso, a companhia conta com as suas próprias Estações de Tratamento de Efluentes (ETEs), que garantem o retorno da água de volta para a sua fonte inicial, devolvendo-a em melhores condições do que quando captada. “Tais medidas auxiliam os índices positivos da empresa, sempre respeitando as condições e normas ambientais”, complementa Carvalho.

lucas vilas boas lemes carvalho_SSA_divulgacao

“É uma grande honra receber o Troféu Curuca de Sustentabilidade, que é considerado o oscar da sustentabilidade em todo o agronegócio brasileiro. É a maior honraria que uma empresa pode conquistar nesse quesito e, para nós, da SSA, é um orgulho ter suas atividades reconhecidas neste nível”, afirma Lucas Carvalho (Foto: divulgação)

Outra vencedora do Troféu é a Olmix, que oferece soluções para garantir uma produção sustentável e uma alimentação de qualidade às quase dez bilhões de pessoas no mundo em 2050. Os equipamentos e ferramentas utilizados pela empresa foram totalmente projetados especificamente para coletar e transformar as algas.

Antes, as algas acumulavam e se deterioravam nas praias da Bretanha francesa, gerando um problema ambiental. Os equipamentos e ferramentas da empresa utilizados para coletar as algas foram projetados especificamente para coletá-las antes que cheguem nas praias para preservá-las frescas. Além disso os processos tecnológicos inovadores desenvolvidos pela Olmix permitem o aproveitamento total deste recurso.

“Elas são responsáveis por 70% da produção de oxigênio na terra e possuem propriedades únicas, como os polissacarídeos sulfatados marinhos. Portanto, não há dúvida sobre o enorme ganho ambiental em utilizá-las como matéria-prima dos produtos para plantas, animais e humanos”, reforça diretor América do Sul da Olmix, Murilo Piva.

murilo piva_olmix_divulgacao

“O Troféu Curuca tem uma história muito interessante e um propósito nobre, que é o de promover a conscientização sobre a preservação ambiental. Isto vem ao encontro da filosofia da Olmix em desenvolver tecnologias sustentáveis à base de algas que são benéficas ao meio-ambiente como um todo. É motivo de muito orgulho obter este reconhecimento e participar de um grupo seleto empresas que foram agraciadas com este prêmio", diz Murilo Piva (Foto: divulgação)

O gerente de Sustentabilidade e Meio Ambiente da São Salvador Alimentos acredita que há uma preocupação constante na cadeia produtiva da indústria para que tudo possa ser reaproveitado, seja pela própria empresa ou por parte de terceiros, como também existe a supervisão contínua dos gestores de cada setor para que os impactos ambientais diminuam gradualmente.

“Reduzir o consumo de recursos naturais, reutilizar insumos e promover a reciclagem são medidas que garantem o progresso da empresa, promovendo melhores resultados, assim como certificam sua responsabilidade ambiental. Todo o setor avícola do Brasil deveria abraçar essa causa, para que os índices de excelência continuem crescendo e tornando possível a exportação dos produtos brasileiros para os consumidores dos cinco cantos do mundo”, pontua Lucas Vilas Boas Lemes Carvalho.

Considerando os dados da FAO que demonstram que a pecuária é responsável por 80% das terras agrícolas do mundo, seja ela para pastagens ou produção de cultivos dedicados à produção de alimento para os animais, a sustentabilidade deve ser tratada como algo indissociável da produção agropecuária, conta Murilo Piva.

Ele complementa que o Brasil, como protagonista da produção mundial de proteína animal, possui muitos exemplos positivos e é crescente o número de empresas que incorporam ações sustentáveis em seu cotidiano, agregando valor na marca e nos produtos. “Cabe aos profissionais, empresas e organizações assumirem sua parcela de responsabilidade para assegurar que as futuras gerações possam ter acesso a uma proteína segura e de qualidade”, reforça.

Quando? A premiação será entregue ao final do 4º Simpósio feed&food, parte integrante da o Salão Internacional de Avicultura e Suinocultura (Siavs 2017), realizado pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA, São Paulo/SP). Lá, todos os elos da cadeia produtiva estarão reunidos e atentos às principais novidades da sustentabilidade e do marketing, exaltadas na solenidade de entrega do troféu a partir das 16h do dia 30 de agosto.

convite trofeu curuca siavs