19/05/2017 EFICÁCIA COMPROVADA

Aditivos nutricionais da Elanco auxiliam no ganho de peso dos bovinos

Estudo comprova que uso da Narasina aumentou em 20% a taxa de desfrute

Durante o Simpósio de Gado de Corte na Interconf, que acontece entre os dias 23 e 24 de maio no Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo, em Campo Grande (MS), a Elanco (São Paulo/SP), divisão de Saúde Animal da Lilly, vai apresentar seus aditivos nutricionais específicos para uso animal e um amplo portfólio de produtos.  

O Zimprova (lonóforo da classe de antibióticos de uso exclusivo animal, que contém 10% de Narasina) é destinado para gado a pasto que tem a finalidade de proporcionar ganho de peso sem afetar o consumo do suplemento, bastando incluir e misturar o produto no sal mineral e/ou proteinado e oferecer ao rebanho. Em testes já realizados pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo (Esalq/USP, Piracicaba/SP), foram verificados ganhos de 96 gramas animal/dia, o que, ao fim de um ano, resulta em 1,17@ adicionais ao produtor. O aditivo é uma excelente alternativa a antibióticos de classe compartilhada para aumentar a rentabilidade dos animais em pastejo, sendo seguro tanto para eles como para o meio ambiente e o homem.

confinamento

O número de cabeças de bovinos abatidas no Brasil foi de 29,67 milhões em 2016 (Foto: reprodução)

Sob a coordenação do professor Alexandre Pires, a Esalq realizou um estudo sobre a aceitação do Zimprova (lonóforo com 10% de Narasina) e o ganho de peso em novilhas da raça Nelore. O pesquisador utilizou 30 animais com peso médio de 222 Kg em uma avaliação que levou 84 dias. Os animais foram divididos para que se pudessem comparar os resultados com e sem a Narasina adicionada à suplementação. Nos animais que não consumiram o Zimprova, a média de engorda diária foi de 486g por dia, enquanto que, com a utilização do produto, o resultado médio foi 582g. As novilhas que consumiram o aditivo tiveram um aumento de produtividade diária de 20% (96g). Além de aumentar o ganho médio de peso, o aditivo é de uso exclusivo animal e não impactou o consumo de sal mineral e proteinado.

Já o Rumensin, um aditivo alimentar (Monensina Sódica) específico para gado em confinamento, tem a função de melhorar a eficiência alimentar dos animais, e também é indicado para controle e tratamento da coccidiose, enfermidade que provoca perda de determinadas áreas no intestino, diminuindo a absorção de nutrientes, o desenvolvimento e a produção, prejudicando o desempenho dos animais. Sua tecnologia tem sido utilizada em dietas de confinamento desde 1976 e conta com mais de 2300 trabalhos científicos publicados sobre seus efeitos em jornais e revistas científicas.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o número de cabeças de bovinos abatidas no Brasil foi de 29,67 milhões em 2016. Porém, a taxa de desfrute - que mede a capacidade do rebanho de produzir animais excedentes para venda - ainda é baixa, cerca de 20,3%, quando comparada à de países como Austrália (33%) e Estados Unidos (35,5%), de acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Responsabilidade. Em 2015, a Elanco assumiu o compromisso de realizar pesquisas para buscar alternativas consistentes ao uso de antibióticos de classe compartilhada com o uso de medicamentos humanos como promotores de crescimento, reforçando a utilização racional e supervisionada desses medicamentos. Desde então, a companhia tem buscado alternativas para ampliar o desenvolvimento de aditivos, imunorrestauradores, vacinas e antibióticos de uso exclusivo animal.

Fonte: A.I., adaptado pela equipe feed&food.