30/03/2017 LIDERANÇA FEMININA

Os desafios de uma mulher à frente de uma fazenda e de seu tempo

Além de chefiar uma propriedade, ela fortalece a presença feminina no setor

Natália Ponse, da redação

natalia@ciasullieditores.com.br

De neta curiosa a líder pecuarista, Carmem Perez é símbolo de que profissionalismo e determinação não precisam vir, necessariamente, de formação acadêmica. As longas estadias na casa dos avós maternos em uma usina de açúcar em Pontal (SP) e em uma fazenda de pecuária no Mato Grosso despertaram na jovem um forte vínculo com o campo, aflorando na menina de cabelos escuros o interesse na pecuária. Talvez, naquela época, já imaginasse dentro de seus sonhos que em cima de um cavalo lideraria toda a operação de uma criação de gado.

Aos 22 anos, sem conhecimento formal na atividade, Carmen migrou de São Paulo carregando coragem e determinação na mala para o Mato Grosso, assumindo uma fazenda cheia de desafios. “Desse dia em diante não parei de estudar, pesquisar, trabalhar e participar de tudo que eu pudesse para compreender da minha atividade. Sempre muito próxima à equipe de campo, buscava entender os segredos na rotina dos vaqueiros e os processos operacionais da fazenda. Eu me aproximei de vizinhos e amigos que muito me ajudaram e contratei consultores que foram fundamentais em meu crescimento na atividade. Meu casamento com um pecuarista, com tradição no segmento, também culminou para que eu pudesse abrir novas frentes de trabalho”, destaca a pecuarista.

“Acredito que a participação feminina nesta atividade sempre existiu, mas de uma forma discreta, tímida, permanecia nos bastidores"

Hoje, aos 38 anos, ela diz encontrar-se em um momento privilegiado. À frente do Núcleo Feminino do Agronegócio (canal de comunicação entre mulheres agricultoras de todo o Brasil), Carmem se dedica à área de recursos humanos, integrando funcionários de todas as áreas e realizando treinamentos com estímulos frequentes, valorizando a mão de obra e projetando alternativas de ocupação para as mulheres que moram no campo. Nestes treinamentos, a pecuarista indica, são abordados o respeito ao meio ambiente e a importância da mudança de atitude no manejo racional.

Para Carmem a mulher busca a troca de conhecimento na profissionalização; na tecnologia, na produção e na gestão. “Acredito que a participação feminina nesta atividade sempre existiu, mas de uma forma discreta, tímida, permanecia nos bastidores. Hoje ela participa ativamente em toda direção e se expõe por meio da mídia social nas oportunidades que têm surgido nestes últimos anos”, diz e enfatiza que esta vem se apropriando da sua força e valorizando suas qualidades de gestão.

Com foco, discrição e aprendizado, Carmem valoriza sempre o relacionamento entre homens e mulheres de forma igualitária, sem fazer distinção de cargo ou posição social. A conquista por espaço na atividade, ela enfatiza, foi por meio de respeito mútuo e credibilidade. “Eu acredito na força do trabalho, na perseverança. Somos nós que abrimos as portas para as oportunidades, pelas nossas crenças e coragem de seguir em frente. Se trata de enfrentar o obstáculo da insegurança. Mais do que o conhecimento, eu acredito na iniciativa e na atitude para enfrentar o desconhecido”, pontua.  

dia_da_mulher_2017

Congresso Nacional das Mulheres no Agronegócio. Carmem Perez já foi uma das palestrantes do Congresso Nacional das Mulheres, direcionado às agricultoras, pecuaristas, produtoras integradas e cooperadas, profissionais da indústria, executivas, mulheres empreendedoras e a todas as profissionais e sucessoras do agronegócio. Um encontro idealizado pelo Transamerica Expo Center, voltado à inovação, rentabilidade, empreendedorismo e sustentabilidade do setor. Em 2017 a reunião será realizada nos dias 17 e 18 de outubro de 2017. Uma oportunidade única de intercâmbio profissional, conhecimento, reciclagem e acesso aos grandes nomes do agronegócio no Brasil.

banner congresso mulheres 2017_divulgacao

Hoje, aos 38 anos, Carmem diz encontrar-se em um momento privilegiado (Foto: divulgação)